Remember: Pirates!

Criado pela mente do hoje renomado e premiado Sid Meier idealizador de games prestigiados como Civilization e Railroad Tycoon, Pirates! é um game que podemos chamar de “simulador de piratas”. Irônicamente é o único game de Sid Meier da qual  eu gosto também. Lançado em 1991 pela RARE ( na época chamada Ultra Games ) para o saudoso NES, Pirates! era uma experiência bem diferenciada do que encontravamos na maioria dos games do console.
Se você é um fã de histórias de pirata, já leu “A ilha do tesouro”, ou gosta deste período da história vai com certeza adorar embarcar no mundo bucaneiro de Pirates!
Então se prepare bebendo uma boa dose de rum e em seguida suba abordo e vamos levantar ancôras juntos, através dos sete mares!

Ahoy!

É com um belo pôr do sol que o jogo dá as boas vindas aos futuros bucaneiros

É com um belo pôr do sol que o jogo dá as boas vindas aos futuros bucaneiros

Falar de Pirates! para mim é até mesmo um tanto dificíl, é aquele caso em que o jogo é tão bom e te prende tanto que fica complicado falar do mesmo sem babar ovo ou deixar bem claro o quanto você é um fanboy. Por isso mesmo que  ás vezes vou deixando justo os games que mais gosto para depois. Se voce é um retrogamer apreciador deste período da história com toda certeza já o conheçe, caso não digo de uma vez que está perdendo um jogo grandioso em todos os sentidos.
Em 1987 a primeira versão do game Sid Meier’s Pirates! foi lançado para vários computadores da época como o Amiga, Apple II, Commodore 64 dentre outros. Mas como os PC’s não eram assim tão populares nos lares brasileiros nesta época muito provavelmente este jogo passou em branco infelizmente por muitos jogadores tupiniquins.
Em 1991 havia uma nova chance de experimentá-lo com o lançamento para NES Pirates!. Embora também tenha sido lançada uma versão refeita com gráficos melhorados para o Mega Drive vou me focar na versão de NES mesmo, pois foi uma das únicas com a qual eu tive contato até hoje, e acredite MUITO contato.
Chega a ser um pouco estranho ver um game classificado como simulador ser portado para um video game caseiro até então direcionado a crianças e adolescentes, querendo ou não o público do NES não era nem de perto tão maduro quanto os jogadores de PC da época, o que torna a decisão um tanto bizarra ao meu ver. Mas por incrível que pareça nada foi amenizado e tudo estava ali, desde os gráficos um pouco simplificados nesta versão e até mesmo as opções de escolha e diálogos. Os jogadores de NES podiam então aproveitar o game em sua totalidade em par com os usúarios de PC, e com a facilidade de apenas colocar o cartucho no console.

Nesta imagem o vigia do návio está saindo de uma cartola para avisar ao capitão que chegaram em águas inglesas.

Nesta imagem o vigia do návio está saindo de uma cartola para avisar ao capitão que chegaram em águas inglesas.

Do what you want, cause a pirate is free!

Quero avisar que a tripulação está com fome...

Quero avisar que a tripulação está com fome…

A primeira coisa que o jogador deve fazer ao iniciar o game é escolher entre algumas poucas opções que variam desde períodos históricos á nacionalidades. Após perder apenas alguns segundos com este mini questionário o jogo realmente começa, as perguntas respondidas servem para decidir pequenos detalhes superficiais já que a história sempre será a mesma. O enredo é simples, o suficiente para apenas dar um sentido á sua vida de pirata, técnicamente seu personagem está a procura de sua familia perdida após alguns acontecimentos passados…óbviamente que pouca gente vai dar atenção a esta histórinha crua, quando o verdadeiro mérito do jogo é a liberdade proporcionada. Passada as “explicações” o jogador descobre que seu personagem agora parte da tripulação de um navio pirata está liderando um motim, após uma luta de espadas contra o atual capitão do mesmo sobra dois destinos, se tornar o novo capitão do pequeno navio, ou caso seja o perdedor ficar esperando resgate em uma ilha deserta, de qualquer modo cedo ou tarde você conseguirá um navio e ai sim o jogo começa de verdade.

Yo-ho-ho  e uma garrafa de rum!

Duelo pirata com espadas de madeira...digo, sabres!...Mas parecem espadas de madeira!

Duelo pirata com espadas de madeira…digo, sabres!…Mas parecem espadas de madeira!

A primeira coisa que todo jogador que já navegou ( literalmente ) pelo mundo de Pirates! percebe é que o jogo tenta ser extremamente realista, ao começar pelo mapa mundi representando com o máximo de semelhança possível naquela época os continentes, o jogo inclusive vinha com um mapa mundi para que o jogador se guiasse. Um dos atrativos do jogo naquela época era justamente isso, ao contrário da atual geração de consoles onde nós estamos sempre em busca de algo mais fantasioso em meio a tantos games realistas, Pirates! era o contrário, um game “realista” em uma época de games fantasiosos.  A liberdade proporcionada pelo jogo também era enorme dando ao jogador a chance de decidir seu próprio destino, como por exemplo qual país quer apoiar. Era praticamente impossivel que sua história fosse igual a de seu amigo por exemplo, já que as opções de escolhas eram tantas e surgiam a todo momento fazendo com que cada jogada fosse única também. Era possível ser um pirata bem sucedido conquistando a nobreza até se tornar um aristocrata ou continuar vivendo como um renegado que não tem aliança e vive apenas de pilhagens a navios de terceiros.

Como um bom pirata você sempre pode passar aquela "cantada de pedreiro" nas garotas de boa família.

Como um bom pirata você sempre pode passar aquela “cantada de pedreiro” nas garotas de boa família.

Tudo em Pirates! foi feito com o íntuito de deixar o jogador decidir por sí próprio e se dar bem ou sofrer as consequências de suas escolhas. Nada aqui impede você e sua tripulação de cruzar o mapa todo de norte a sul logo no ínicio do jogo…a não ser é claro a falta de suprimentos. Como um bom “simulador” você vai ter que estar sempre de olho em como as coisas andam com a sua tripulação para não despertar a ira dos tripulantes. É necessário que não apenas compre mantimentos como também algumas mercadorias para sua turma, açucar e também canhões para seus navios. Conforme se aventura pelo alto mar todos estes “suprimentos” vão se esgotando conforme o tempo passa, se chegar em uma situação crítica pode haver um motim no navio e seu personagem será jogado em uma ilha deserta onde terá que esperar por outro navio, ou morrer de solidão. Isso mostra como as coisas são dinâmicas em Pirates! sua carreira pode se encerrar em algumas horas, ou durar meses dependendo de como se comporta.
Conforme navega pelo mapa é possível encontrar várias cidades, fortes e até mesmo igrejas, ao encostar em uma construção o jogo mostrará uma tela com uma breve imagem do lugar e algumas opções de localidades. Entre estas opções está visitar a taverna local onde você pode recrutar ainda mais homens para sua tripulação, procurar informações sobre piratas procurados pela justiça, receber informações sigilosas sobre algumas cidades para então planejar atacá-las ou não, e até mesmo receber ofertas de pedaços rasgados de mapas do tesouro, a cada pedaço do mapa comprado fica mais fácil desvendar a localização do tesouro e então desenterra-lo, é um jogo de piratas afinal, não poderiam faltar tesouros.
Outras opções incluem visitar a merceária local para reabastecer seu estoque, consertar seus navios e falar com o governador, através dos governadores é possível receber titúlos honorários e até mesmo cortejar suas filhas para quem sabe um dia não fazer parte da nobreza também.

A vida de pirta não é fácil não, e você ai achando que era só bebedeira, ação e mulheres fáceis em tavernas.

A vida de pirata não é fácil não, e você ai achando que era só bebedeira, ação e mulheres fáceis em tavernas.

Quando se está navegando pelos sete mares a visão aérea do jogo funciona muito bem, o campo de visão é amplo dando a chance do jogador ver bem onde tem terra firme e cidades por perto e também se tem algum navio se aproximando. Ao avistar outro navio e encostar no mesmo você tera algumas opções, dar um oi e perguntar por novidades, passar direto e ignorá-lo, ou entrar em batalha com o mesmo. As batalhas de navios são bem simples, se os seus canhões estiverem bem equipados é só mandar bala no adversário e tentar deixa-lo mais fraco até conseguir chegar bem próximo e encostar no mesmo, lembrando que a ação do vento é um dos maiores “defeitos” do jogo já que mais atrapalha do que ajuda, e os comandos “duros” do navio também não ajudam em nada, quando o vento está a seu favor é ótimo, mas quando está contra seu navio pode simplesmente ficar parado ou se movendo mais lento do que fila de aposentado no INSS. Quando conseguir chegar perto o suficiente do navio inimigo começara uma batalha intensa, após escolher qual modelo de espada quer usar o duelo contra o capitão inimigo se inicia, caso seja o vencedor pode manter o navio ( o estado em que ele se encontra depende do quanto de dano causou no mesmo ) ou pilhar os mantimentos e ouro do mesmo e depois afundá-lo. Às vezes o navio atacado pertence a um pirata procurado por algum país, se entregá-lo vivo receberá uma recompensa em dinheiro, terras e também poderá ser condecorado. De tempo em tempo durante as paradas pelas cidades você pode ( e deve ) dividir as pilhagens com os outros bucaneiros, a partir dai você escolhe se quer ou não avançar para o próximo nível de dificuldade, caso escolha sim voltará do zero com apenas um navio e sem tripulação mas mantendo seus status na sociedade.

"Vai com fritas?"

“Vai com fritas?”

Se você é mau pra valer também pode atacar cidades ou fortes, mas tenha em mente que este é um dos feitos mais dificeis do jogo. Grande parte destes locais são muito bem protegidos o que torna quase que impossível uma invasão bem sucedida. Mas com certeza uma das partes mais interessantes do jogo todo é juntar os pedaços dos vários mapas do tesouro para então procurar os mesmos. A sensação de descobrir um tesouro bem farto é de profunda satisfação e dá  para entender por que as maiores estórias de piratas envolvem buscas pelos mesmos.

Um típico mapa do tesouro do jogo

Um típico mapa do tesouro do jogo

Recolher âncoras!

Com certeza Pirates! é um game único, ainda mais pela época de seu lançamento. Dando a liberdade que os jogadores da época até então não estavam acostumados. Hoje em dia com tantos games que exageram na liberdade parece algo bobo dizer que um jogo deixava você “escolher seu próprio destino” mudando os acontecimentos de acordo com suas escolhas e tornando cada jogatina única. Mas para a época era com certeza um triunfo da criatividade e programação.
Mesmo com alguns defeitos um tanto irritantes como a lentidão que seu navio anda quando o vento está contra suas embarcações e também o fato de você e sua tripulação serem representados por três bonequinhos palito extremamente lentos quando estão andando em terra livre pelo mapa em busca dos tesouros. O jogo ainda consegue ser agradável e divertido mesmo para os padrões atuais, se você for um amante de estórias de piratas e assim como eu leu mais de uma vez “A ilha do tesouro” com toda certeza perderá um bom tempo com Pirates!…e acredite ás vezes quando jogo este jogo nem vejo as horas passando. A busca principal pela sua familia perdida vai acabar sempre ficando em segundo plano diante de tantas opções e oportunidades que encontrará pelo fantástico mundo bucaneiro de Pirates! Mas isto está longe de ser algo ruim…

Um remake do jogo foi lançado em 2004, igualmente excelente é praticamente o mesmo jogo só que agora em 3D, com animações para as cenas e algumas leves alterações que visam facilitar a vida do jogador. A jogabilidade continua a mesma e quase tudo que estava no primeiro continua aqui, porém como um bom retrogamer eu ainda acho  a versão antiga mas “charmosa”.
Espero que tenham tido uma leitura agradável e até o próximo Remember!
See ya!

Esse post foi publicado em Remember e marcado , , . Guardar link permanente.

7 respostas para Remember: Pirates!

  1. nesses ultimos dias, tem passado os 4 filmes de Piratas do Caribe aqui em casa. e as aventuras do sem noção Jack Sparrow me deixaram motivado a talvez jogar algo do Gênero. e você me vem com esse game. nem sabia que o NES tinha um game grande desse jeito. é impressão minha ou aquele tal Secret of Island Monkey foi baseado nele? e olha que é mais famoso do que Pirates! só a parte de comprar o suprimento para a tripulação vai me dar um trabalho enorme. pois sou desorganizado para esse tipo de coisa.

    e a ação do vento no sentido contrário, acho que é para dar realismo, só eu vendo para ver se é assim mesmo. essa é uma das vantagens de ser retrogamer, só aqui soube desse game. já indo procura-lo já, agora, nesse instante.

    só tenho que pensar num nome para o Navio e meu nome pirata…

    acho que gaiato de vento daria um bom nome para a embarcação.

    • Tiago Steel disse:

      E ae Leandro, tranquilo velho? Então…eu não sou muito chegado em Piratas do Caribe, acho que por puro preconceito ainda não consigo levar a sério uma história de piratas produzida pela Disney hahaha XD
      Mas se você tá motivado a encarar uma aventura de piratas não tem como errar com este game! Pirates te faz viver uma vida de pirata como nenhum outro game. Sobre o Secret of Monkey Island…ele não tem ligação com Pirates não…mas também é um game legal, só não te dá liberdade como este aqui afinal Monkey Island é point and click né.
      No começo você vai provavelmente esquecer de cuidar direito da sua tripulação, mas conforme vai jogando o sistema de gerenciamento se torna mais intuitivo…não é nada demais também é só estar sempre passando nas merceárias e reabastecendo, com o tempo você passa a fazer isso sem perceber de tão acostumado que fica.

      E sim a ação do vento foi feita mesmo com a intenção de dar mais realismo…mas quando jogar você vai notar como ficou CHATO, sério dá nos nervos quando o vento fica contra seu barco.
      Que bom que o texto te fez se interessar pelo jogo cara, vai fundo que é coisa boa…só tome cuidado que este jogo é daqueles que roubam a alma…e acabamos jogando sem parar por tanto tempo sem nem notarmos!

  2. Tiago Steel disse:

    Opa mano, legal te ver por aqui de novo haha XD
    Tem fim sim…nunca cheguei a comentar contigo ou te mostrar aqui em casa quando meu NES ainda funcionava? Achei que tinha te mostrado devo estar louco XD
    O problema é exatamente esse, tem finais e finais…de qualquer modo o game sempre tem um fim né…mas a maior parte do tempo só vemos os ruins por que é realmente complicado se dar TOTALMENTE bem para alcançar o melhor final…eu também nunca consegui reunir todos os membros da familia…cheguei perto mas nunca consegui…porém já fiz uns finais onde fiquei rico ou me dei bem.
    O que você tem no PSP é o mesmo que eu tenho no PC também sem tirar nem por…também achei meio sem sal, as experiências que tive com a versão do NES ficaram mais cravadas na memória, fora que a versão retro sempre é mais atrativa pela simplicidade.
    Valeu ai , que bom que curtiu a matéria velho, até mais!

  3. kidy x-fire disse:

    E aí Tiago blz? Cara me lembro de ter jogado pouco este game na época pois não dava muita importância para jogos desse gênero (já que street fighter estava na moda na época) na realidade apenas comecei jogá-lo e desisti pois achei muito complicado. Pelo jeito não sabia o que estava perdendo kkk. Um abraço velho.

    • Tiago Steel disse:

      Opa Marcelo, tranquilo velho?
      Nossa se você jogou este jogo bem na época mesmo ele deve ter sido BEEM complicado…se levarmos em conta que ele é meio complicado até hoje XD
      Tem que administrar muita coisinha pras suas embarcações, ver bem as informações antes de fazer uma ação como invadir uma cidade e etc, na época onde estavamos acostumados á games de plataforma e tal realmente era meio complicadinho…afinal era mais profundo até do que os RPGs.
      Mas infelizmente você perdeu um jogão mesmo ein hahaha, mas não tem problema…hoje em dia retrogames estão a nossa disposição muito facilmente então sempre podemos redimir esses “erros” né meu chapa? XD
      Outro abraço ai!

  4. Luiz Blomy disse:

    E aí cara, blz? Parabéns pela matéria. Você disse absolutamente quase tudo em relação ao jogo. Tenho 19 anos e não tive a luxuosa experiência de jogar Pirates! na época em que esses games eram, digamos, “tops”; enfim, depois que arrumei um emulador de NES 8 Bits para Play Station 1, tive a curiosidade e a SORTE de achar o Pirates! que até então não o conhecia. Na época que comecei à jogar eu tinha 16 anos, hoje 19. Já são 3 anos jogando essa maravilha cara.

    Mais uma vêz, parabéns pela matéria e um abraço.

    • Tiago Steel disse:

      Opa Luiz, tranquilo velho?
      Valeu pelo elogio, fico feliz que tenha curtido o post. E eu acho que dificilmente alguém teve a chance de aproveitar Pirates! na época viu…mesmo quem viveu na era NES e tal, ele não era um game muito fácil de se encontrar por essas bandas e menos ainda de se entender pra maioria que ainda era pirralhada. Porém não importa como ou quando você o descubra ele sempre vai ser um ótimo jogo. E antes tarde do quê nunca né cara? XD
      Olha, eu te garanto que ai tem jogo pra bem mais do quê 3 anos viu hahahaha, esse jogo é praticamente infinito…tantos lugares para visitar, mapas pra se descobrir, cidades pra pilhar, donzelas pra casar e por ai afora. Mas 3 anos é realmente um mérito viu…já é praticamente um pirata de verdade hahaha. Outro abraço cara, volte sempre.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s