Wii U e Wara Wara Plaza: Uma anedota à vida

Final de 2012, enquanto os consoles da velha (hoje, no caso) geração como PS3 e XBOX 360 ainda estavam usando seu último gás para aguentarem mais um ano no mercado até o lançamento de seus sucessores em 2013; a Nintendo achou que o velho Wii já havia dado tudo que podia de sí mesmo. Era hora então de um sucessor que, teoricamente, nos planos da empresa, estivesse a altura do sucesso GIGANTESCO que o Nintendo Wii havia feito e continuasse a trajetória quebradora de records de venda do pequeno console pré era HD da empresa. Todos sabemos qual é o final dessa história não é mesmo?…
Hoje parece fácil para todos nós olharmos para trás e escolhermos motivos para o Wii U não ter dado certo; desde o nome (que muita gente sugere que fez os desinformados confundirem o console como um simples addon do velho Wii), até o marketing ruim em todos os aspectos possíveis (comerciais enfadonhos e uma ênfase em só mostrar o gamepad, fazendo muita gente confundir as coisas e achar que o gamepad era o console em sí), jogos menos inspirados que antes, etc etc…
A lista dos motivos pro fracasso do console continua, mas claramente ali naquele final de ano esses não eram os planos da Nintendo; eram exatamente o contrário com toda certeza – afinal se aproveitar da marca “Wii” que foi um sucesso absoluto, para continuar a ganhar vendas parecia a opção mais certeira, a SONY faz isso com o PS4 a anos e continua obtendo sucesso afinal de contas.

Por parte dos jogadores, houve sim uma certa divisão entre aqueles que apostavam no sucesso – e aqueles que apostavam no fracasso do console, como aliás é de praxe com todo lançamento da Nintendo (Nintendo Switch foi a mesma coisa). Porém os ânimos entre a galera que entendia de consoles estava bom, afinal, era o primeiro console HD da empresa, a Nintendo havia dedicado muito do tempo de sua apresentação do console na E3 para mostrar ports de jogos de PS3 e XBOX 360 que agora enfim teriam como rodar em um console da empresa (já que o Wii não tinha capacidades técnicas para rodar tais jogos), para muitos era um aceno aos jogadores “hardcore”de que agora um console Nintendo estava a altura dos consoles da geração atual (na época, PlayStation 3 e XBOX 360). Outros jogadores perceberam um problema aí…essa geração, até então a atual, estava com os dias contatos e logo daria lugar aos seus sucessores, fazendo com que o Wii U tivesse nascido muito tarde para competir com os consoles atuais, e cedo demais para competir com os consoles futuros…
Mas para a Nintendo, o fato de continuar a “marca” Wii e dessa vez entregando um console muito mais potente e com infinitas mais possiblidades – seria o suficiente para balançar os alicerces do mundo gamer e mantê-la no topo. Entre jogos exclusivos e ports de alguns jogos da geração atual, uma das apostas da Nintendo era vista logo que você ligava o console – o WaraWara Plaza.

O WaraWara Plaza era em sí, parte do menu inicial do console. Se o Wii U estivesse conectado a internet, cada jogo jogado pelo jogador apareceria como um ícone no WaraWara Plaza, mas o trunfo disso era o fato do WaraWara Plaza ser conectado ao hoje extinto Miiverse. Para quem não se lembra, o Miiverse foi mais uma aposta infrutífera da Nintendo, em suma era basicamente um Twiiter da Nintendo. No Miiverse você podia fazer postagens falando sobre os jogos que estava jogando, cada jogo (ou a maior parte deles) tinha sua comunidade, e ali você podia postar comentários, screenshots dos jogos e até mesmo desenhos feitos usando a stylus tanto no gamepad do Wii U quanto no Nintendo 3DS. Ao ligar o Wii U, a primeira coisa que o jogador veria era a tela do WaraWara Plaza, onde os miis (avatares dos consoles Nintendo, esses por sorte existem até hoje) dos jogadores que estivessem jogando os mesmos jogos que você, apareceriam ao redor dos ícones dos jogos exibindo suas postagens do Miiverse, com mensagens, desenhos e fotos tiradas dos jogos, tudo como se o próprio Mii estivesse ali na sua “pracinha virtual” te falando alguma coisa interessante sobre aquele jogo que você estava jogando. Alguns jogadores davam até mesmo dicas nessas mensagens.
No momento em que você ligava o console, você se sentia acompanhado, mesmo que estivesse sozinho no seu quarto ou na sua sala, aqueles pequenos Miis naquela pracinha virtual, pareciam lhe fazer companhia. Era divertido guiar o joystick até cada um dos ícones de jogos e ver o que aquelas pequenas pessoinhas virtuais estavam dizendo, fosse uma mensagem contando um segredo interessante do jogo, um desenho, uma foto de algum bug – você não se sentia só, você se sentia ali, parte de mais uma daquelas pessoas prestes a jogar seu jogo enquanto vários outros também faziam o mesmo, sempre prontos para fazer algum comentário sobre ele.

Infelizmente, em 7 de novembro de 2017, o Miiverse foi encerrado pela Nintendo. Com o Nintendo Switch já no mercado, fazendo todo o sucesso que o Wii U não havia feito; e com o fato da maioria das pessoas preferirem usar outras redes sociais para postarem sobre qualquer assunto, o Miiverse não tinha uma razão para existir naquele cenário.
O que acontece, é que como o WaraWara Plaza só funcionava por ser conectado ao Miiverse; com a extinção de um, o outro também deixou de existir.
O mais triste porém, é que como o WaraWara Plaza é o menu inicial do console, ele ainda permanece lá, apenas perdeu suas funções de exibir mensagens dos jogadores.
Ao ligar um Wii U hoje, mesmo que conectados a internet, tudo que vemos são inúmeros miis padrões do console, com mensagens pré programas ensinando a usar alguma função do console.
Pode soar bizarro e até “engraçado” quando digo a sensação de tristeza e vazio sempre que ligo o console e me deparo com aquela pracinha virtual, completamente “vazia”, hoje apenas habitada por avatares padrões do console dizendo mensagens automáticas.
Assim como na vida, o WaraWara Plaza (e o Wii U como um todo) simboliza um pequeno momento de alegria, que nós nunca saberemos até quando pode durar. Pode ser uma hora, pode ser um dia…pode ser uma semana…
Assim como um dia na nossa infância saímos para brincar com nossos amigos pela última vez sem termos nos dado conta que aquele dia seria o último que estaríamos todos juntos. Ou como podemos dormir perfeitamente bem uma noite, para no outro dia recebermos uma péssima notícia que coloca nosso mundo abaixo…
Alegrias sempre são passageiras, e como o WaraWara Plaza e o Wii U nos mostram, grandes e criativos planos, podem entrar em colapso quando menos esperamos, apesar de todo nosso empenho e de toda nossa certeza no sucesso e na vitória; um dia em nossas vidas, depois de alegrias na companhia de amigos, pode ser que no outro dia não nos reste nada além de uma pequena pracinha vazia, onde só nos resta olhar as lembranças daquele movimentado passado onde todo o futuro parecia tão certo.

Anúncios
Esse post foi publicado em Uncategorized. Bookmark o link permanente.

Uma resposta para Wii U e Wara Wara Plaza: Uma anedota à vida

  1. Julian Hopper disse:

    Haha! Gostei do texto. Meio melancólico. Não consegui desenvolver uma simpatia pelo Wii U. E olha que eu o tive desde o começo, lá em 2013. E mesmo com a praça Wara Wara cheia, sempre senti que faltava alguma coisa. Não sei explicar. A Nintendo abandonou o console de tal forma que a sensação que eu tinha quando ligava o console era de estar do lado de um morto-vivo. Por isso que é importante a empresa oferecer suporte para o aparelho maciçamente, ou fingir que faz…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s