O que você jogou em 2012?

lobo xmas

Então é natal…blá blá blá, e logo em seguida o final de ano. Assim como acontece ano após ano nós estamos chegando ao final de mais um ciclo de 365 dias. Em poucos dias vamos estar deitados no sofá da sala com o estômago cheio, tomando um sal de frutas e vendo alguma reprise daqueles desenhos animados antigos que sempre tinham um episódio natalino. Vocês sabem…Scooby Doo, Pernalonga etc. E passados mais alguns dias chegará o fim do ano onde a única certeza universal é a de que terá show do Roberto Carlos na Globo.
Isso tudo é óbvio se o mundo não acabar até lá. Porém tem mais alguma coisa que acontece nesses períodos de fim de ano, um meme que andei vendo por aí no ano passado. O que você jogou em 2011, agora em sua nova versão: O que você jogou em 2012, eu geralmente não entro nessa onda fresca de memes, porém esse eu achei realmente interessante. E mesmo não gostando de nenhum desses feriados de fim de ano acabei achando esse meme bem criativo.
O Retro Journey não é um blog assim tão descolado quanto muitos outros que participam desse meme, mas ainda assim resolvi entrar na onda. Então que tal me acompanhar e ver o que mais joguei em 2012? ( Ou na verdade o que consigo lembrar que joguei… )

Monster Hunter Tri
monster hunter tri

Monster Hunter Tri na verdade é um game que eu vinha jogando desde de 2010 quando meu antigo Wii albino acabou surtando e dando alguns defeitos. Após comprar meu novo Wii em 2011 voltei a jogá-lo porém com menos frequência. Agora em 2012 foi quando realmente peguei o bicho pra valer. O jogo é o máximo, do tipo que se você for um jogador que gosta de criação de armas e armaduras, customização e etc vai ficar colado mesmo. A interação online que permite que você e mais três jogadores caçem as criaturas juntos é o ápice da coisa, diferente da maioria dos games do estilo Monster Hunter é um game de ação pura, onde tudo é feito em tempo real e é necessário decorar as ações e golpes dos monstros para ter alguma chance de sair vivo. Com certeza é um game que exige que o jogador se dedique se quiser dominá-lo, porém lhe entrega uma dose imensa de diversão e auto satisfação em troca.

Catherine
Catherine-Header

Um game não precisa ter sangue, vísceras e muita violência gratuita para ser adulto. Hoje em dia a indústria está criando verdadeiros “splatter” games que supostamente são adultos mas que na verdade são consumidos pela parcela adolescente de jogadores que QUEREM ser adultos. Catherine nada contra essa maré, mostrando para a gente que relacionamentos são algo muito mais adulto…e assustador do que monstros dilaceradores. No game o jogador no papel do “loser” Vincent encara os maiores dilemas de um homem adulto, o relacionamento com sua namorada, passando por coisas como uma gravidez indesejada, casamento e até adultério involuntário (?)
Vincent é um cara comum, com um trabalho símples, vida normal e sem nada de atraente em sua aparência ( igualzinho a maioria de nós não é mesmo? ) e o modo como as coisas acontecem tão subtamente e seguidamente abala as estruturas do cara. O jogo ainda mostra o modo como Vincent começa a ser visto como um doido após ter seguidos pesadelos onde tem que escalar uma torre ou morre, pesadelos esses gerados após a aparição de uma bela garota que do nada se interessa por ele. O game é essencialmente um jogo de puzzle com algumas partes de interação social entre os NPCs, porém onde está o trunfo de tudo é realmente em seu enredo que conta com múltiplos finais.

Dark Souls
DARK_SOULS

Dark Souls talvez dispense comentários se vocês tiverem um dos consoles de nova geração PS3 ou Xbox 360. Lançado também para PC a algum tempo atrás Dark Souls é um dos jogos mais difíceis de todos os tempos e com certeza talvez o mais difícil dessa geração de consoles. Só por isso com certeza ele já mereceria ser jogado por nós retro gamers que vivemos reclamando de como tudo ficou fácil nessa geração. Mas Dark Souls vai além disso, o jogo conta com uma ambientação fantástica, um mundo gótico e sombrio de dar inveja a Diablo. Uma mecânica de jogo magnifica onde quando você morre sabe que o erro foi seu e não do jogo. De fato o mais interessante em Dark Souls é isso, você aprende com seus erros, e se for um bom jogador aquele boss que te matava com cinco segundos de batalha logo irá morrer em cinco segundos quando você finalmente entender como derrotá-lo. Isso tudo torna Dark Souls um game profundamente recompensador, que faz com que o bom jogador note seu progresso e comemore quando conseguir uma vitória.

Super Mario 3D Land
Super-Mario-3D-Land

Mesmo depois de tantos anos o reíno dos cogumelos continua sendo um lugar maravilhoso para se passar um tempo. Como paguei caro por Mario 3D Land, já que o comprei em mídia física me dei a missão de fazer tudo que fosse possível no game. Acabei por cumprir essa missão…mais devido ao fato do jogo ser bem pequeno e ter muito poucos extras mas tudo bem. Mario 3D Land é um game extremamente divertido como a maioria dos jogos do Mario, usando muito bem o efeito 3D do Nintendo 3DS e com gráficos muito bonitos.
No mais é um pouco menos inspirado do que certos jogos da franquia como por exemplo a série Paper Mario ou Mario Galaxy, mas ganha seu lugar de respeito por ter sido um dos primeiros games a fazer valer a pena a compra de um 3DS.

Sonic Generations
Sonic_Generations 01

Enfim a SEGA fez um serviço que presta e mostrou que mesmo tendo cometido atrocidades sem tamanho com seu mascote ainda tem algum respeito pelo mesmo. Sonic Generations pode não ter agradado a gredos e troianos mas com certeza agradou a maioria. Misturando vários estágios que revezam entre Sonic antigo ( o famoso Sonic barriguinha ) e o Sonic moderno ( Sonic descoladão que parece um cara em uma roupa de ouriço antropomorfico ) o jogo acertou em cheio em ambas as partes. Mesmo que a jogabilidade com o Sonic moderno seja mais simples e meio on-rails ainda, os angulos de câmera e os belos cenários ajudam a relevar. Já a jogabilidade com o Sonic antigo é só alegria e nos mostra como seriam se os games do ouriço ainda seguissem a fórmula de sucesso que tinham antigamente. Um must have para os fãs de Sonic com toda certeza.

Castlevania The Adventure Rebirth
castlevania-rebirth

Quando adquiri meu Wii, eu infelizmente não sabia desta grande pérola para o sistema. Quando descobri Castlevania The Adventure Rebirth minha surpresa se misturou com euforia, afinal longe de eu não gostar dos games mais recentes da série que seguem o famigerado estilo “Metroidvania” incluindo várias rotas, finais alternativos e ítems e armas para equipar seu personagem. Mas sentia falta de um Castlevania raíz, com o jeitão mais arcade sem muitas firúlas.
Castlevania The Adventure Rebirth nos leva de volta aos tempos de outrora, quando a jogabilidade era mais limitada porém mais desafiadora. Embora esta versão seja mais fácil do que os verdadeiros Castlevanias de antigamente, vale a pena ser conferida pela nostalgia. Só fui terminá-la esse ano e mesmo sendo baseado no antigo Castlevania: The Adventure para Game Boy, Castlevania The Adventure Rebirth consegue ser um game totalmente novo e ao mesmo tempo uma velha volta as antigas. Bom o bastante para me fazer rejogar de vez em quando, mesmo que não sempre chegando até o final…

Raiden IV
raiden_vi_xbox

É tão estranho o fato de o XBOX 360 ser um console tão ignorado no japão mas ainda assim receber uma carga enorme de SHMUPS um estilo deveras adorado na terra do sol nascente. Mais estranho ainda é o fato de os achievments do game estarem todos em japônes…o que me deixa um tanto fulo tendo em vista que já tenho praticamente todos mas não sei o que significam. Mas indo direto ao ponto, Raiden IV é o quarto game ( oh não diga ) da antiga e até que bem conhecida série de shooters ( ou como seu amigo do fliper dizia “jogo de navinha” ) e não muda muito em relação aos seus antecessores a não ser é claro pelos gráficos melhorzinhos. Mas o que vale aqui é a diversão, e Raiden é um dos poucos shooters onde você ainda consegue se virar sem morrer a cada segundo. Sem deixar de ser intenso porém dando uma chance do jogador sobreviver sem zuar com a nossa cara mandando uma chuva absurda de tiros que cobrem 99,9% da tela. Sempre que estou entediado o coloco no meu Xbox para lembrar de como é bom jogar um arcade sem ter que comprar fichas. E antes que eu me esqueça, com um segundo controle e um amigo o jogo fica ainda melhor!…Só não vale chamar a esposa pra jogar já que provavelmente ela não vai entender patavinas do que está rolando na tela.

The Legend of Zelda: Skyward Sword
Zelda SS

The Legend of Zelda dispensa comentários, porém deixar esse espaço em branco seria sínal de preguiça então vamos lá. Eu já tinha o jogo desde o ano passado, peguei bem no finzinho do mesmo…porém dias após ter adquirido o game que eu tanto queria havia uma viagem programada para passar o final de ano na casa dos sogros. Tem coisa melhor ein galera? Seu sogrão achando que você é um loser e sua sogra achando você um folgado. Mas nada te abala quando você sabe que quando voltar para casa irá encontrar o novo The Legend of Zelda! Dito e feito, após o tempo passar chego em casa pronto para começar a jogatina. O jogo é realmente mágico no primeiro momento que você o vê, os gráficos são bonitos e nem a cara de bobo do Link novo te desanima de entrar na aventura. Ai você se depara com algumas coisas chatas…como o intenso punhetamento de Wii Remote para fazer certas ações, ou o fato do jogo não entender muito bem esse ou aquele movimento. Tirando também o lance do Motion Plus sempre se desregular sozinho…mas esquecendo todas as dificuldades “técnicas” o game é lindo, divertido e te suga para dentro do seu mundo colorido e fantasioso como todo jogo da série Zelda. Senti falta de um mapa mais extenso e “pé no chão” já que ficar voando não é muito minha praia…mas ainda assim o jogo é maravilhoso.

Trinca do Wii: Xenoblade Chronicles, The Last Story e Pandora’s Tower
Operation-Rainfall-600x341
A famosa Operation Rainfall foi uma campanha feita por fãs americanos para convencer a NOA ( Nintendo Of America ) a lançar três JRPGs  de primeira linha para o Nintendo Wii no continente americano. Como estou totalmente por fora do que rolou no final das contas o que vou dizer pode estar incorreto mas parece que tudo deu certo e tanto Xenoblade Chronicles quanto The Last Story tiveram seus lançamentos na América. Enquanto Pandora’s Tower ainda vai ser lançado ou já foi…não sei ao certo como ficou exatamente as coisas por aqui já que como meu Wii é destravado joguei as versões europeias dos três jogos numa boa.

Xenoblade Chronicles
Xenoblade-Chronicles-Gaur-Plain

Começando com Xenoblade Chronicles, o jogo é extenso…e fará você dizer “puta merda!” a primeira vez que ver as planicies sem fim do mesmo. Para o padrão dos RPG’s japoneses de hoje em dia que andam vindo cada vez mais lineares e com mapas “por pontinho”. Xenoblade Chronicles é como um tapa na cara dizendo “É assim que se faz um RPG de verdade porra!”. A quantidade de quests, subquests, ítems, armas, localidades e etc; parecem infinitas quando começamos a jogar e admito…intimida bastante aquele jogador que não tem mais o tempo nem a paciência de quando se tinha quinze anos. Por este motivo eu não cheguei a terminar Xenoblade Chronicles, embora esteja no final e o jogue de vez em quando para continuar a evoluir meus personagens. Ainda assim é um dos jogos junto com Monster Hunter Tri que mais consumiu horas da minha vida esse ano.

The Last Story
laststory

Dá vontade de deixar esse espaço em branco com medo de que eu não consiga descrever de modo merecido a grandiosidade desta verdadeira perfeição em forma de jogo. The Last Story é praticamente um Final Fantasy com outro nome, afinal de contas foi idealizado e produzido por ninguém mais ninguém menos do que Hironobu Sakaguchi o paizão da série Final Fantasy e diretor da série na época em que ela era um jogo de verdade feito para fãs de JRPG e não para adolescentes andrógenos como é hoje. Apesar da certa linearidade imposta pelo game, todo o resto é perfeito, os personagens são cativantes, o enredo é excelente com uma bela reviravolta no final, o final em sí é lindo, as batalhas são intensas e divertidas os gráficos são maravilhosos para o padrão Wii.
Do modo como os RPG’s japoneses estão hoje em dia só posso dizer uma coisa…The Last Story mostra o quanto esse estilo de jogo ainda pode ser grandioso como antigamente então se você é fã dos jogos da era SNES, PSX, PS2…vá em frente e jogue! AGORA!!!

Pandora’s Tower
pandoras_tower

O que menos joguei dentre a tal citada “trinca” ( o que não significa que eu tenha jogado pouco…) Pandora’s Tower é um game competente e interessante mas de jogabilidade confusa e pouco intúitiva. Seu personagem usa uma espécie de corrente para atacar, laçar e puxar os inimigos, pegar ítems, se pendurar em locais pré definidos e quebrar/interagir com os objetos do cenário. Mas o modo como o Wii Remote é usado tendo que muitas vezes apontar, puxar, chacoalhar e etc acaba confundindo na hora da ação. A jogabilidade lembra um God of War mais orientalizado e a história gira em torno de um jovem rapaz que tem que derrotar bestas em várias torres para então levar a carne delas para sua amada que está com uma maldição. Se ela não comer a carne de certas criaturas ( no caso os bosses ) acabará sucunbindo e se transformando em um monstro também. O ponto alto do jogo são os cenários muito bem constrúidos e o modo como o relacionamento entre o personagem principal e a garota é mostrado dentre as missões. Mostrando como um homem de verdade faz qualquer coisa pela mulher amada…mesmo que o tal homem em questão ainda sofra do complexo de androginia dos protagonistas de RPG nipônicos.

Dragon Quest VI Realms of Revelation
dragon_quest_vi

Dragon Quest é minha série RPGistica favorita. É tão simples mas ainda assim tão profundo, com anos e mais anos de vida e várias sequências ( sendo que praticamente todos variam entre excelente e ótimo ) é até dificil escolher o melhor da série. Porém me atrevo a dizer que Dragon Quest VI está entre um dos melhores na minha humilde e fanboystica opinião. Não consegue superar Dragon Quest III nem o V, mas ainda assim está na frente do mais recente Dragon Quest IX o qual não consegui gostar muito. Os personagens continuam cativantes como sempre e no remake para DS poder falar com eles sempre que estiver em uma cidade ou mapa ajuda a dar mais personalidade á cada um. Os novos gráficos tridimensionais deixam os cenários ainda mais belos do que na versão original de SNES. Os dois mundos do jogo se intercalam muito bem e nenhum é sem graça ou vazio. Até mesmo o mapa subáquatico tem lá seus atrativos embora seja realmente o local mais chato do jogo. Junte a isso várias side quests, locais escondidos e um sistema de classes com várias opções e terá um jogo da qual não vai querer largar enquanto não acabar a bateria de seu DS. E quando acabar vai ligar na tomada pra continuar jogando…, qualé eu disse que era fã da série não disse?

Splatterhouse 2
Splatterhouse2

A série Splatterhouse sempre me cativou, pelo visual B e gore que me lembram dos filmes que tanto ví na infância e pré adolescência ( pois é…antigamente era assim a gente crescia vendo isso ). Nem mesmo a jogabilidade travadona e que meio que esfrega na sua cara que você vá morrer por causa dela e não por que você é ruim consegue me afastar dessa série. Apesar de nunca ter terminado o primeiro ( já que me recuso a usar save states ) e de só ter feito o final ruim do terceiro jogo. No segundo da franquia consegui ir em frente até o final derrotando o pior adversário do jogo…sua jogabilidade ruim!
E tudo isso usando os poucos continues e os passwords da versão que vem como bônus destravável no game Splatterhouse do XBOX 360, just like the old times.

Half-Minute Hero: Super Mega Neo Climax Ultimate Boy
689397_HalfMinuteSteamIN1jpg

Pelo amor! Quem foi  o sujeito que deu esse subtitúlo para a versão PC desse jogo de PSP? Tirando esse “pequeno” detalhe a versão para PC do jogo para PSP Half-Minute Hero é praticamente a mesma coisa que sua contraparte portátil. A única diferença é que aqui colocaram um novo modo gráfico que deixa o jogo todo com cara de game feito em flash…hmm, não obrigado! Jogar Half-Minute Hero olhando a grandiosidade de seus gráficos estilo 8/16 bits alinhados a jogabilidade criativa foi um dos pontos altos do meu “ano gamístico”.
Ter trinta segundos para concluir os objetivos de cada quest e ainda comprar equipamentos, ítems e evoluir seus personagens pode parecer estranho e confuso a primeira vista, mas em questão de segundos ( entendeu?…segundos hum?…que piadinha horrível ) você fica familiarizado com o modo como o jogo funciona e dai pra frente é só diversão. Joguei o game todo em uma única tarde tamanho o fáscinio que o mesmo exerceu sobre mim, se você for fã de JRPGs das antigas vale a pena conferir esse jogo só pra descobrir uma “nova maneira” de se jogar um estilo tão clássico.

Phantasy Star 2
PS2

Eu tento…eu juro que tento!…conhecer mais a fundo e jogar algum Phantasy Star até o final mas parece que não dá. Comecei embalado a jogar Phantasy Star 2 pela segunda vez em meu CD do SEGA Smashpack para Dreamcast. Evolui meus personagens como louco no começo do jogo chegando em um ponto onde certos monstros que os detonados diziam ser extremamente fortes me tirarem 1 de dano.
E ainda assim quando saia de uma área para outra era quase que massacrado pelos novos inimigos…os preços exorbitantes dos equipamentos alinhado a demora para evoluir seus personagens ( nem falo de demora por ganhar pouca XP, e sim pelas batalhas serem lentas pra cacete ) acabaram me fazendo desistir de Phantasy Star 2 novamente…mesmo após ter dedicado horas ao jogo pela segunda vez. O modo como se compra nas lojinhas também me extressava bastante com seu personagem tendo que cancelar todo o menu da loja para ter que entrar de novo e comprar os ítems, caramba…nem mesmo os Dragon Quests de NES tinham um modo de se usar o menu tão porco quanto Phantasy Star. Com certeza o jogo mostra a inexperiência da SEGA em RPG’s. Mas não é de todo mau, o jogo tem seus pontos bons, só que seus defeitos acabam me afastando da série sempre que tento uma investida. É como conhecer uma garota linda…mas que tem um bafo terrível.

E para finalizar…
congraturation

Óbviamente eu acabei jogando vários outros games fora os citados aqui em cima, porém em jogatinas mais rápidas como por exemplo Street Fighter II, Super Street Fighter IV, Super Mario World entre tantos outros clássicos que jogo sempre que tenho um tempinho. Tem também os que joguei e já falei aqui no Retro Journey como é o caso de vários games retros que joguei ao longo do ano:

Metal Max Returns
Rez
Gunman’s Proof
Downtown Special: Kunio-kun no Jidaigeki da yo Zenin Shugo
Laplace no Ma

Esses foram mais alguns games que joguei, mas se for incluir todos os games retros que joguei ou testei não teria espaço aqui. Então espero que tenham ficado satisfeitos com o que consegui me lembrar dentre tudo que joguei ao longo do ano.
Outra coisa, como este também vai ser provavelmente o último post do ano, aproveito aqui para agradecer a todos que visitaram o Retro Journey durante todo o ano de 2012 e dizer muito obrigado pelo apoio e pelos comentários.
Boas festas á todos, e muito peru pra todo mundo! ( Nôôôffa )
Se entupam de comida, bebam pra caramba até passar mal, já que no fim do ano isso é comum mesmo! E não se esqueçam nunca de continuar jogando…os video games são mais que um simples lazer eles nos acompanham desde a infância, fazem parte de nossa vida e nunca devemos deixá-los de lado.
Então é isso ai, um bom fim de ano, boa comilança e que o ano que vem seja cheio de games, dinheiro, felicidade e outras coisas que a patroa iria me matar se eu falasse em um blog público.
Se cuidem!

winnersdontusedrugs

Atualizando para deixar a lista dos demais sites/blogs participantes do meme:

– Gagá Games e Piga (http://www.gagagames.com.br)
– Gamer Caduco (http://gamercaduco.com)
– Vão Jogar! (http://vaojogar.com.br)
– Revista Game Sênior (http://www.gamesenior.com.br)
– Video Game.etc (http://videogame.etc.br)
– GLStoque (http://www.glstoque.com.br)
– Shu Games (http://shugames.blogspot.com.br)
– Retro Players (http://www.retroplayers.com.br)
– The Twosday Code (http://yoritoshi.wordpress.com)
– Passagem Secreta (http://passagemsecreta.com)
– Cosmic Effect (http://cosmiceffect.com.br)
– Edi (FZ2D) (http://edireviews.blogspot.com.br)
– Shugames (http://shugames.blogspot.com.br)
– Nostallgia (http://olhamaemeublogdevideogames.blogspot.com.br)
– Edi (FZ2D) Retro Reviews (http://edireviews.blogspot.com)
– Forum SEGA Forever (http://segaforever.forum-livre.com)
– Fúria: blog sobre games (http://furia94.wordpress.com)
– Fúria: blog sobre games (http://furia94.wordpress.com)

Esse post foi publicado em Especial e marcado , . Guardar link permanente.

20 respostas para O que você jogou em 2012?

  1. Tiago Steel disse:

    Opa mano valeu XD
    Eu tava querendo fazer um post pra finalizar o ano mesmo e aproveitei para emendar com esse meme divertido que criaram ai. No final acho que ficou agradável mesmo e quanto ao Raiden, ainda bem mesmo que tem fichas infinitas se não já era…ímpossível terminar esses shooters sem poder usar fichas á vontade.
    Falou o/

  2. Lista muito boa, apesar de eu não ter jogado patavinas xD. E é jogo de navinha sim. Shmup e Shooters é só no profissional xD.

    Parabens por mais um ano de blog. =D

    • Tiago Steel disse:

      Valeu Alexsander, pô cara ainda da pra correr atrás ein jogos bons não envelhecem nunca tenho certeza que daqui a alguns anos Dark Souls, Catherine continuaram jogos excelentes então com certeza mais cedo ou mais tarde tu põe a mão neles XD
      Eu também falo jogo de navinha no geral a não ser que esteja falando com alguém que já é mais de termos técnicos e tal.
      Agradeço pelo elogio velho mas não fez mais um ano de blog ainda não, foi só um ano mesmo hahahaha, mas beleza já conto pro ano que vem ( assim espero ).
      o/

  3. MarvoxBrasil disse:

    Nem imaginava que tem um Castlevania assim no Wii, farei o possível para jogar. Gostei da sua lista, Super Mario 3D Land é outro que quero me aventurar. E Sonic Generations hein, valeu a pena ter comprado ele, se bem que muitas vezes mal consigo acompanhar a velocidade do sonic novo, tirando isso é um jogo divertido D+. Até Raiden, nossa, que aventura de puxar os cabelos hein. Muito legal!

    • Tiago Steel disse:

      Opa e ae grande Marvox idealizador desse meme XD
      Legal ver que tu tira um tempo pra comentar e compartilhar de algo que você mesmo idealizou…acho isso uma prova digna de um verdadeiro gamer.
      Agora não conhecia Castlevania The Adventure Rebirth? Poxa o game é um verdadeiro Castlevania de raíz! Poderia facilmente passar despercebido como um dos antigos mesmo.Sonic Generatios eu matei a vontade de jogar jogando realmente pra caramba hahaha, repeti várias vezes os mesmos estágios de tão fascinado que fiquei pelo jogo, sinceramente fiquei feliz por enfim a SEGA ter acertado a mão. Mario 3D Land é bacana mas não vai muito além disso. Já o Raiden…sou viciadão em games “de navinha” hahaha. Valeu pelo comentário man, volte sempre!

  4. Pingback: Meme – O que você jogou em 2012? | Gamer Caduco

  5. Pingback: Ed.Nº 71 – MeMe: O Que Você Jogou Em 2012? |

  6. vejo que você jogou muitos jogos excelentes esse ano. queria ter jogado Catherine, esse game faz parte de Shin Megami Tensei, uma série de rpgs que gosto muito. e Dark Souls, cara. eu tenho esse game no Xbox e PC. já estou quase zerando com a minha ladra que eu fiz. ela se encontra no lv 100 em Lost Izalith. meu irmão joga, mas como ele criado a game de pêra e ovomaltine, fica de mimimi quando morre e perde as almas. e quando foi no Xbox, com a opção de jogar e ser ajudado online, ficou mimado e agora quer matar todo chefe com ajuda de outros players…

    League of Legends teve ter o enfraquecido….

    e sobre a trindade do wii dos rpgs, já ouvi falar muito bem de Xenoblade, dizem que esse game é o futuro dos JRPGS e The Last Story, falam que é rpg para virgens…não sou eu que falo, eu mesmo gostaria de jogar Last Story. e Phantasy Star é um dos rpgs mais dificeis do Mega Drive e o mais duro da série. é culhões de aço. mesmo!

    • Tiago Steel disse:

      E ae Leandro tudo tranquilo velho?
      Então apesar de ter jogado alguns games ruinzinhas ( que não citei no post ) esses foram os que mais joguei mesmo, que bom que os achou excelentes…pior seria se tivesse chegado e dito “Nossa Tiago só jogou merda ein” hahahaha.
      Brincadeiras a parte, Catherine não tem nenhuma ligação com Shin Megami Tensei cara, a não ser que foi feito pelo mesmo time…de resto infelizmente não tem nada de Megaten nem Persona. Dark Souls pra mim foi O game do ano. Já estou terminando-o de novo, só que agora os chefes ficam ainda mais dificeis! E alias…terminei ele todo sem ajuda de ninguém hehe…não uso meu Xbox online…pois é…devo ser o único. XD
      Xenoblade pode ser descrito assim mesmo cara, o futuro dos JRPGs…se seguirem o estilo adotado por este game podem sair da cova que cavaram para sí mesmos!
      Quando ao lance ai do The Last Story só posso dizer que não sou virgem mas curti o game então…sou uma excessão a regra? hahaha.
      Phantasy Star velho…o problema dele pra mim é que o jogo vai se tornando cansativo não pela dificuldade em sí…e sim pelo modo como ele foi programado…sei lá os menus e o sistema de compra do jogo são terríveis. Toda hora tem que reiniciar as coisas do zero por quê o menu fecha sozinho quando usa uma magia etc…essas coisinhas irritam!

  7. kidy x-fire disse:

    Fala ai Tiago, cara parabens pelo post ficou muito louco kkkkk. Como disse o Cid foi realmente para fechar o ano com chave de ouro, um abraco e nos vemos por aqui novamente no ano que vem (se o mundo nao acabar dia 21/12 kkkkk). Valeu cara!

    • Tiago Steel disse:

      Opa Marcelo, valeu ai chapa que bom que curtiu o post XD
      É se eu consegui fechar o ano com chave de ouro ta beleza e espero que tudo dê certo pra continuar tocando o Retro Journey em frente mesmo. Se o mundo acabar pelo menos…foi bom enquanto durou hahahaha.
      Eu é que agradeço por sempre estar aqui acompanhando o que escrevo velho e nos vemos depois do fim do mundo!

  8. Início do texto com O Maioral… ganhou meu respeito!

    Altos jogos que sou mó curioso pra jogar, tipo Monster Hunter e Catherine… e poxa cara, essa sua definição pra esses pseudos jogos adultos atuais é perfeitas. É como eu digo, certas coisas só são chamadas de adultas porque juridicamente não podem ser taxadas como adolescentes.

    E nem me fale da grandiosidade de Xenoblade, to jogando e o treco não termina nunca, hwa hwa hwa.

    Abraço!

    • Tiago Steel disse:

      Pô cara valeu pelo reconhecimento..Lobo é o personagem de HQ mais foda do universo todo ( literalmente )! XD
      Monster Hunter Tri e Catherine são dois games excelentes, um mais pela jogabilidade e modo online divertido, e o outro pelo modo como a história se desenrola dependendo de como você age, responde e ajuda NPC’s…os dois jogos são excelentes! Quanto ao fato dos pseudo jogos adultos, você disse muito bem cara, hahaha vou começar a usar esse termo “jogo adolescente” ao invés de jogo adulto já que a maioria dos games adultos de hoje são voltados para garotos juvenis com síndrome de “quero ser mais velho”. Xenoblade não é grandioso…é “imensioso”….cara eu cheguei a pensar um tempo que aquele jogo não ia acabar nunca…você joga, jogo e o troço não tem fim! Se for fazendo as quests então…tem jogo ali para anos!!!

      Valeu pelo comentário meu caro, e segundo andei vendo em outros blogs por ai ( cof cof, Caduco ) tu e alguns outros costumam ( ou costumavam ) jogar altas partidas de Mario Kart online no Wii não? Qualquer coisa podemos combinar algo hahaha, vira e mexe jogo ele on aqui.
      Outro abraço chapa e volte sempre!

      • Eu também curto Lobo, apesar de não ser leitor muito assíduo de HQs.

        Ah cara, eu já até fiz um texto uma vez sobre essa parada de jogos adultos que se passam por adolescentes, a Rockstar então é mestra nisso.

        Xenoblade eu nem piro muito nas missões secundárias, e mesmo a missão principal não acaba nunda, coisa de louco. Pior que a história é bem feita, aê eu fico ligadão e nem vejo o tempo passar.

        Cara a gente ainda joga sim, apesar de ultimamente tá rolando meio que um desencontro porque é todo mundo casado e tal, ae já viu né, rzs. Mas vi seu comentário lá no Vão Jogar! e vi que você adicionou o meu Friend Code, passa o seu aê pra eu adicionar também, nós devemos passar a jogar aos sábados, não tem muita gente mas é divertido, he he he.

  9. Gamer Caduco disse:

    Ótima lista!
    Sobre os jogos, nunca joguei nenhum Monster Hunter, eu sempre tive algum bloqueio contra o jogo, preciso experimentar. Mas não será a versão de Wii.
    Curti sua descrição de Catherine, de fato ele é muito mais adulto que muito game que tem por aí. Isso pq só joguei o demo no PS3.
    O Dark Souls eu ainda não joguei, mas comecei recentemente o Demon’s Souls e… caraca, que jogo cretino! hahaha! Eu fiquei p*** de chegar no chefe da fase 2-1 sem morrer e perder pra ele sem conseguir dar um único hit no filho da mãe. Daí desisti por um tempo, vou deixar pra jogá-lo quando estiver com mais tempo e mais calmo com outras coisas, senão vou rachar o videogame no meio! hehehe
    3D Land também foi um dos meus jogos de 2012! Eu achei o fato dele ser mais simples que Mario Galaxy um ponto positivo, até pq em portátil é ruim jogar jogos com muita profundidade ou que vc fica imerso por muito tempo (pra mim, claro). Também fiz tudo que dava pra fazer nele.
    Outra coincidência foi Sonic Generations, embora eu tenha começado a jogar no ano passado e terminado esse ano. Com certeza ele é muito superior em qualidade comparado a outros jogos lançados, mas não considero estes “atrocidades”. A trilha sonora do Generations é boa demais!
    O Castlevania não joguei, mas sou mais fã dos “Metroidvanias” da vida do que dos mais “clássicos” (embora respeite muito estes).
    Raiden IV eu nem conheço e Zelda é uma franquia que eu não curto muito.
    Mas jogar toda Operação Rainfall em um ano foi um baita marco, hein? Curti o lance de “não ter mais o tempo nem a paciência de quando se tinha quinze anos”, é justamente assim que me sinto com rpgs hj em dia. Mas dos 3 o que mais quero ver é justamente o The Last Story, me parece um jogo fod* e todo mundo fala bem dele.
    Splatterhouse e Half-Minute Hero nunca joguei. Dragon Quest só joguei o VIII, mas pelo visto seria legal encarar outros quando tiver tempo.
    E Phantasy Star II é um dos meus jogos favoritos, ô bicho difícil de terminar. Fui terminar no GBA lá pra 2004/2005, na Collection que lançaram. “Uma garota linda que tem um bafo horrível” foi boa! kkkkk… mas esse jogo tem que ter muita paciência mesmo.
    Bom, é isso!
    Abraço

    • Tiago Steel disse:

      E ae Caduco, beleza velho?
      Cara, Monster Hunter é muito foda se você curtir o lance de ficar destroçando criaturas enormes só para depois escalpelar e arrancar pedaços delas para fazer suas armaduras, armas e etc. Se você não for muito fã de game nesse estilo não sei se vai curtir…eu adoro a sensação de satisfação ao derrotar um monstro muito forte…é quase como matar um boss em Dark Souls…QUASE, hehehe. Catherine é um game muito adulto mesmo, as atitudes que o Vincent tem de tomar, o modo como ele encara as coisas…ele é muito mais humano do que qualquer “soldado marombado armado até os dentes e sem medo de nada” de games de guerra de hoje em dia…mas é como eu disse…esses jogos “adultos” de hoje são feitos para adolescente mesmo então pra quê discutir…
      Quanto a Dark/Demon Souls…o lance é ter paciência…MUITA paciência…ás vezes até um inimigo comum pode te destroçar se você não tiver cautela…gostei dessa sensação de ser um humano mais comum e frágil que pode morrer se levar uma marretada de 500 Kg em cima da cabeça ao contrário do que acontece na maioria dos outros RPGs.
      Mario 3D Land, e Sonic Generations…são dois jogos que eu curti muito jogar…sempre bom ver que os mascotes da nossa época de infância ainda estão vivos hoje…mesmo que a maioria dos games do Sonic estejão daquele jeito né…
      Agora ter jogado a Operation Rainfall foi legal….pena que só terminei o Last Story mesmo…o Xenoblade pelo que ví estou a algumas horinhas do final mas por algum motivo misterioso meio que cansei do game…ele é tão grande…tem tanta coisa pra fazer que te intimida hahaha. Pandora’s Tower jogo de vez em quando…é legal mas nada de outro mundo…a jogabilidade dele me extressa as vezes ai largo a mão.
      Agora…por favor velho, me dê uma dica de como ter paciência pra jogar Phantasy Star…os defeitinhos pequenos como o modo que se usa os menus do jogo me extressam mais do que a dificuldade em sí! hahahaha
      Outro abraço ai chapa!

  10. Be disse:

    Como eu queria comprar um Wii, só pra jogar a “trindade” que você descreveu aí! Ainda vou convencer meu namorado a fazer parceria e já sair da loja com o Wii e Xenoblade, hehehe. Dark Souls, tá loouco! Difícil, sim, mas depois que a gente pega o jeito vai fluindo melhor. Phantasy Star, eu tento também…. mas é dose as vezes! E eu nem tava sabendo desse Castlevania para o Wii! Meu namorado, que parece que tem doutorado em Castlevania (Sério, sabe de tudo, de todos os jogos, coisa de louco), me viciou no III e quem disse que dá pra largar o controle? Acho que descobri uma maneira esperta de convencer ele a comprar um Wii, hahaha! Mas o que eu mais joguei nesse ano que passou foi Skyrim, Oblivion (fã de RPG old school) e fechei o ano com chave de ouro, joguei muito Dishonored. Sem falar que resolvi fazer um replay de FF… FF IV, V, VI, VII, VIII, IX, X, XII… é muito vício. Confesso que joguei Catherine, mas não curti tanto.

    Ótimo artigo cara!

    • Tiago Steel disse:

      Hahaha que bom que mais alguém gosta do Nintendo Wii, ás vezes é chato ver como as pessoas são xingam o coitado. O Nintendo Wii foi um ótimo console eu lhe garanto, essa “trindade RPGística” ai é só um exemplo das várias cerejas do bolo. Xenoblade é épico ao extremo, praticamente um tapa na cara das outras desenvolvedoras de JRPG dizendo “É assim que se faz um ÓTIMO JRPG!”…o jogo tem gráficos muito bonitos ( principalmente pros padrões Wii ) um enredo criativo, personagens interessantes, um mundo vasto, várias quests…e não posso esquecer da trilha sonora que é linda do começo ao fim! Mas recomendo muito o Last Story também apesar de ser um RPG mais linear…
      Dark Souls você tem que ter paciência, é um game onde ser cuidadoso nunca é demais…por exemplo você nunca deve deixar sua guarda aberta, nem mesmo para o inimigo mais tosco e fraco do jogo. Phantasy Star sei lá…acho que tá no meu sangue…nunca vou conseguir terminar um hahaha. Adoro Castlevania também ( o banner do site já diz tudo hahaha ) e esse do Wii é uma grata volta as raízes…eu curti pra valer! O III que você citou ai é o do NES não é mesmo? Tanto ele quanto o Super Castlevania IV são games maravilhosos…e com trilhas sonoras…de primeira! ímpossível um gamer que se preze ( principalmente das antigas, como é o foco aqui hehehe ) não curtir essa série…ela é icônica! Skyrim eu joguei pouco…não consegui gostar tanto quanto gostei de Oblivion, ele tem menos fantasia e isso me deixou um pouco afastado. No entanto é um game excelente e comedor de tempo hahaha. Dishonored joguei bem pouco, achei interessante e com um gameplay bem feito MAS…definitivamente não é meu tipo de jogo XD
      Dos FF que tu citou ai meu preferido é o IV e o VI…eu gosto da série mas acho que sou um dos únicos ocidentais que prefere DQ a FF haha. E pô…da uma chance pro Catherine, sei que o gameplay dele é meio bobinho e frustrante…mas o enredo do jogo é muito foda!
      Valeu pelo elogio Be, volte sempre!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s