Especial: Ressaca da E3

É isso ai meus amigos, como quase todo mundo ligado ao meio “gamer” já sabe a E3 famosa Electronic Entertainment Expo maior feira de games do ocidente já veio e já passou e enquanto os grandes sites especializados como Gamespot e IGN se esforçam para dar todas as noticias sobre os lançamentos e novidades do mundo dos games, alguns outros como o do ilustre Gagá  fizeram sua “cobertura” do evento que eu sinceramente acho muito mais divertida e coerente com o modo como a feira anda ultimamente. Então inspirado por todos os sites e blogs que fazem cobertura ou apenas comentários sobre esse grande ( claaaaro… ) evento presenteio vocês com este rápido post onde tento explicar do meu ponto de vista por que esta feira antes tão amada pelo público gamer…hoje em dia acaba sendo mais motivo de piada, então venha comigo se o seu corpo estiver pronto!

Novidade 0

Normalmente muitos gamers hoje em dia acompanham as transmissões ao vivo de uma ou várias das empresas de games na E3, em plena a era da informação é dificil não ter acesso rápido á todas as “novidades” que surgirão na feira…e geralmente o cara que está ali assistindo á uma das conferências acaba com aquela sensação de “Pô mas isso não é novidade!” isso se deve ao fato de que dias ou meses antes das conferências acontecerem já tem boatos, videos, fotos e tudo mais sobre os games que serão mostrados rolando á torto e a direito pela internet, o que acaba por “capar” o fator surpresa da E3 destes últimos anos.
Antigamente quando a internet ainda estava sendo conhecida no Brasil e poucos contavam com esta ferramenta que hoje em dia até mesmo uma calculadora possui, a E3 vista pelas páginas das revistas da época parecia muito diferente da que vemos hoje, a primeira edição da feira que rolou em 1995 contou com o lançamento do Sega Saturn, seguido pelo Playstation e também com algumas especificações sobre o Nintendo 64 ( na época ainda chamado de Ultra 64 ) a do próximo ano foi ainda mais memorável já que foi nela que o mundo viu o Nintendo 64 funcionando pela primeira vez, e com Super Mario 64 simplesmente histórica! O diferencial é que nesta época a quantidade de informações que o público tinha era muito limitada então geralmente a feira realmente mostrava tudo em primeira mão e sempre tinha uma sensação de frescor, mesmo que algumas informações vazassem antes, nada chegava ao nível dos videos em HD “vazados sem querer” por certas empresas como acontece hoje em dia…com certeza a feira perde parte da graça justamente pela sobrecarga de informações que o gamer já tem sobre o que vai acontecer nela ANTES dela acontecer! Este sem dúvidas é um dos grandes fatores que deixam as conferências mas recentes da E3 bem mais sem graças.

Vergonha alheia, ou seu tempo de volta!

Se comparada ao nível “técnico” de hoje, a E3 começou muito mais humilde e timida voltada realmente para as novidades do mercado de games, quando estas novidades ainda significavam jogos ou consoles novos. Após algum tempo a coisa começou a descambar contando com garotas semi nuas, que hoje em dia acabou sendo proibido ( sério…quem prestava atenção nos games? ) até chegar ao nível de hoje onde cada apresentação é mais um espetáculo do que uma conferência própriamente dita. Não tem nada mais irritante do que você estar ali esperando para um video daquele jogo que tanto gosta ser exibido e derepente a Microsoft acha que é mais interessante fazer um show ( ruim ) ao vivo do que agradar os consumidores.
Junte a isso as constantes “visitas” de atores ou esportistas ao palco para apresentarem alguma versão nova daquele jogo de futebol que seu priminho de dez anos adora, ou então algum novo jogo de futebol americano que só agrada realmente aos americanos, isso quando não perdem mais da metade do tempo de exibição com informações de como seu video game pode acessar a internet, se conectar com a TV, fazer café, lavar a casa e rastrear onde a sua namorada está quando você não consegue falar com ela pelo celular ou seja coisas que não tem relação alguma á games e que deviam ser mostradas em alguma conferência separada.
Outro fato que vem contribuindo muito para a “chatice” da E3 moderna são os controles por movimento e os famosos games “casuais”, quando a Nintendo mostrou ao mundo o Nintendo Wii e seu controle por movimento talvez não tivesse visão da ira que criaria nos famosos jogadores “hardcore” aqueles caras que consideram um game com sangue e muita violência gratuita jogo pra macho, mesmo que ele salve automaticamente á cada cinco segundos pra evitar que o jogador volte mais do que um minuto de gameplay ao morrer. O pior é que realmente um pouco de razão existe nisso, pois se valendo do sucesso que a empresa japonesa conseguiu usando seu novo modelo de jogos tanto Microsoft quanto Sony resolveram apostar em seus próprios controles por movimento, uma com o seu “clone” de Wii Remote o PS Move e a outra com o famigerado Kinect, esses apetrechos são bombardeados com games casuais e que geralmente não chamam a atenção de ninguém que realmente curta games, mas como são acessórios que tem como função vender mais consoles para outro tipo de público não costumam ser deixados de lado o que acaba gerando uma infinidade de exibições na feira onde a empresa tenta convencer o consumidor de que aquilo tem alguma utilidade e deve então ser retirado das prateleiras em troca de uma “nova experiência” ao jogador…o porém é que geralmente todos sabem que não vai passar de um sacolejo de controles ou algo terrivelmente cansativo como ficar dançando na frente da TV feito um idiota. O Wii conseguiu provar que tem muitos games ótimos controlados pelo Wii Remote como é o caso de No More Heroes e Mad World, mas as suas rivais provaram que seus apetrechos por movimento nada mais são do que a casa de games infantis onde se deve acariciar animais peludos e fofinhos ou de simuladores entediantes de esportes e dança e o problema continua quando uma delas ( Cof cof Microsoft ) insiste em focar feira após feira em jogos para este acessório, o único alivio em tudo isso é que geralmente as pessoas chamadas ao palco para demonstrarem os jogos por movimentos parecem não se intimidar diante da platéia e geram situações tão hilárias ( para não dizer constrangedoras ) que no final das contas alimentam o maior subproduto das E3 modernas os gifs zuados.

No passado

Antes da feira ( que hoje em dia deve ser chamada de evento tamanha a proporção que tem ) ser o que é hoje, ou seja um festival de cantores, esportistas, modelos e uma centena de vídeos de games que geralmente todo mundo já estava esperando a situação era um tanto diferente.
Os controles por movimento ainda eram coisas sem necessidade e os games tinham muito mais variedade do que apenas os recentes “brutamontes mata todo mundo com uma espada” ou “brutamontes mata todo mundo com uma arma de fogo”, as informações não eram difundidas com tanta velocidade e as empresas geralmente preferiam guardar segredo para gerar alvoroço apenas nas apresentações e não meses antes delas…ou seja era TOTALMENTE o contrário do que vemos hoje. Passando pelo lançamento do Nintendo 64 até o Dreamcast, as edições da E3 eram um sucesso, era ali que as informações sobre os novos games eram mostradas á um público que estava realmente ali para isto, ver as “barracas” da Rare na saudosa era do Nintendo 64 e as imagens ( e especificações ) do Dreamcast em uma era que a Sega ainda tinha respeito é algo que não tem preço, a variedade dos games também agradava e geralmente tinha algo pra todo gosto, de games mais simples aos mais complexos sem precisar do termo “hardcore” e “casual” como hoje, alias esses titulozinhos de “Gamer Hardcore, Gamer Casual” me da nojo toda vez que leio.
Os anos passaram e os consoles evoluiram, foram surgindo novas tendencias, Internet no video game, TV no video game e por ai vai, muitos “gamers” e jornalistas compraram estas “inovações” como o futuro dos consoles, e hoje em dia já é inclusive inviável para uma empresa lançar um console que não conte com internet, aluguel de filmes online e etc, a E3 é um reflexo disto visto que geralmente as empresas de consoles caseiros dedicam uma boa parte de suas exibições para mostrar como este tipo de coisa esta ainda mais atualizada em seu console. Outro fato importante é o orçamento dos novos jogos, vejo muitos gamers por ai reclamando da falta de variedade e de como hoje todos os jogos parecem violentos e cheios de explosões, sobrando pouco espaço para outros estilos, o custo de produção de um jogo hoje em dia é muito mais alto do que o das gerações passadas então se God of War e Call of Duty vendem bem…por quê diabos uma empresa vai arriscar um estilo de jogo diferente e correr o risco de perder dinheiro? Assim como no caso do console “multi uso” que tem trezentas funções diferentes, os games com pouca variedade também são um reflexo do que os próprios jogadores exigem hoje em dia, muitos reclamam que a E3 está uma droga ultimamente, porém não param para perceber que é justamente por causa do público gamer que ela tomou este rumo, os jogadores exigem que seu console tenha milhares de funções diferentes…e depois reclamam quando focam a E3 nisso e não nos jogos, os jogadores reclamam que a EA Games é um monstro capitalista que vive de extorção…e depois vibram com os lançamentos de um novo Battlefield, os jogadores reclamam e choram contra a Capcom e seus DLC’s…mas no final deixam seu espirito de fanboy os dominar e compram mais uma sequência de Street Fighter IV, elogiam a ação interrupta e a qualidade “hollywoodiana” de titulos como Call of Duty e God of War ( que vende zilhões de cópias ) e depois reclamam que hoje só existe clones destes dois jogos…
Quantas não foram as vezes que vagando por sites e fóruns pela internet não me deparei com “gamers” dizendo coisas como “Nunca compraria um Wii…os gráficos dos jogos são muito inferiores!”, “Nossa um console desta geração sem essa ou aquela função nem valheria a pena comprar!!!”, só nestes dois exemplos já é possivel notar…alguem levou em conta OS GAMES?…aparentemente não, meu pensamento pode parecer antiquado ( e afinal de contas ele é, caso contrário não teria um blog sobre RETRO games oras! ) mas sou da época onde o que importava em um console eram seus jogos e não se vou poder assistir ao brasileirão com cinquenta ângulos de camera diferentes, o Mega Drive era inferior gráficamente ao SNES, isto o fez ter menos importância ou ser menos querido pelo público gamer de antigamente? Claro que não, hoje ele é lembrado como um dos maiores consoles de outrora e mora no coração de vários jogadores, pois é…esta é a diferença de como os jogadores de hoje estragam o próprio mercado da qual fazem parte e depois ainda querem reclamar.
A E3 deixou de ser interessante, e os culpados disto são os próprios gamers.

Anúncios
Esse post foi publicado em Especial e marcado , . Guardar link permanente.

8 respostas para Especial: Ressaca da E3

  1. fala Tiago!

    apesar de gamer e acompanhar a E3 em revistas, só agora com a internet tenho uma noção do que se passa nessa feira…resumindo. os jogos do PS3 e Xbox 360 são o que todo mundo esperava, sem mais…nada de muito impressionante, pelo menos para mim.

    o que o mundo aguardava mesmo era o tal WiiU….vi a noticia do Gagá Games e eu esperava que a Nintendo fosse aprender com seus erros passados e fizesse menos games de movimento e tivesse sua cota de games que não fosse Mario ou Zelda para chamar a atenção dos sonistas e caixistas. tinha esperança que a Nintendo ia engrenar dessa vez….os produtores e donos da empresa começaram a apresentar o console….

    e quando acabaram…eu fiquei com um pé atrás, mas o meu irmão me convenceu que mesmo o WiiU tendo um gazilhão de aplicativos, seria bom te-lo. cara, eu já me enrolo no Facebook e no Twitter, imagina com esse treco, eu pensava. meus amigos também queriam o WiiU a princípio….mas os jogos mostrados, embora tenha Ninja Gaiden, Assassins Creed 3, Batman Arkham City, ZombieU e mais alguns jogos. quando vi aqueles jogos na Nintendo, soltei um WOW enorme. mas divaguei. eram apenas jogos para impressionar ou eles realmente terão jogos violentos? mas na sua maioria. lançou os jogos com a cara da Nintendo tipo, Pikmin 3, Lego undercover e outros. mas vamos combinar, os jogos de outras empresas feito a Warner e seu Batman, já eram games que metade do planeta já havia jogado. e eles os divulgaram com um dos destaque do console…começaram errado.

    como o console nem lançou, decidi ficar quieto…mas muitos sites de games e meus amigos mesmo já acharam que o console nada mais era do que um Wii em HD…

    olha, eu só espero que a Nintendo saiba o que está fazendo, porque se eles não ganharem novos fãs…o PS3 e Xbox 360, nem se incomodarão em mostrar seus novos consoles tão cedo…e vai acabar como a Sega….rezo desde já

    • Tiago Steel disse:

      É Leandro, na verdade nessa E3 tanto Sony quanto Microsoft e Nintendo mostraram o dedo do meio para o público, sem nenhuma novidade relevante, jogos manjados…e a Nintendo então…ainda mais vergonhoso pois ela tinha uma carta na manga que não soube usar, torço para que ela não acabe como a Sega por quê se não Microsoft e Sony vão deitar nas costas dos consumidores. O mais engraçado é o povo que vejo por ai dizendo que ela tinha que parar de vez…independente da abordagem que a Nintendo vem tomando, ficar sem ela no mercado de consoles é o primeiro passo para uma monopólio desgraçado…na real eu queria mesmo era que a Sega voltasse um dia isso sim…acho que apenas Nintendo, Microsoft e Sony no ramo de consoles tá deixando tudo muito estagnado.

  2. kidy x-fire disse:

    E aí Tiago blz?E3? Espere Esta Encrenca. Ou melhor mais um pouco do mesmo muito se fala muito se mostra e nada de novo.Não sei se procede mas vi uma nota de um tal de x box720 circulando pela net e as primeiras palavras já falava dos gráficos aaassssooommmbrosos do dito cujo da pra crer nisso? E o que sempre costumo dizer tão se preocupando muito com gráficos e o diabo a quatro e esquecendo o principal a essência dos games que e o fator diversão. Um abraço.

    • Tiago Steel disse:

      Opa Marcelo e ai velho, beleza?
      É surgiram uns boatos de Xbox 720 um tempo atrás ai mesmo, agora já disseram que ele tem outro “codinome” e tal, nem me recordo…mas nem me importa mesmo, dá pra contar nos dedos os games que REALMENTE prestam nessa geração…imagina na próxima. E infelizmente é isso…as empresas já não querem perder tempo com games inteligentes, é só socar gráficos ultra realistas que nego vai comprar mesmo então pra que se preocupar né? Como eu citei, os próprios “jogadores” cavaram essa cova então nem tem do que reclamar. Outro abraço mano.

  3. Gamer Caduco disse:

    Cara, concordo com seus pontos de vista.
    Realmente é bem complicado “esconder” algo hj em dia com tanta informação, com tanto “furo de reportagem”, tanto rumor, etc. Isso tudo deixa as conferências um tanto quanto mornas (e realmente foram).
    A vergonha alheia sei lá, eles querem dar espetáculo, nós queremos ver jogos. A hora que os organizadores pararem pra pensar que o show que se dane isso talvez mude. Jogos de dança com movimento e afins eu sei lá o que pensar, não gosto deles, mas pelo menos são jogos. Querendo ou não, existe público para este tipo de jogo. Só acho que não deveriam investir tanto tempo neles.
    Também detesto os termos “casual” e “hardcore”, esse tipo de rótulo é desnecessário. Tanto para jogadores quanto para jogos.
    E tudo o que vc falou sobre nego reclamar e continuar comprando é a mais pura realidade. As vezes eu acho que tem muita gente por aí que se transforma em personagem na Internet, mas fora dela é outra pessoa. Ou então pior, tem muito “maria vai com as outras”, então a IGN ou qualquer site por aí falou que jogo X é bom, então ele tem que falar que é bom pra mostrar que é “entendido”, ao invés de ter opinião própria. Eu já ensaiei escrever sobre isso inúmeras vezes, mas sempre me poupo senão vou terminar o post babando de ódio! hehehe
    Encerrando o comentário gigante, vc fechou o post com chave de ouro. A frase é a mais pura verdade.
    Abraço

    • Tiago Steel disse:

      E ae Caduco, beleza velho?
      Que bom que você concorda com meu ponto de vista, não que eu me ache o senhor da razão, mas acho que o que eu disse é realmente o mais coerente mesmo.
      Os problemas das empresas de jogos hoje em dia são vários que é até complicado citar todos…mas realmente ficar “vazando” informação “sem querer” como a Ubisoft que deixou rolar aquele video do Rayman Legends SUPER PRODUZIDO e tal e depois disse que não foi por querer…ah vá!
      O lance dos shows na E3…velho trazer Usher cantando ( e mal ) no palco foi o ápice da merda toda que a Microsoft fez…é um evento de jogos, não um show! eu por exemplo perdi meu tempo ali para ver se teria algum jogo e não um show musical! jogos de dança e etc eu não acho que precisem acabar, mas dar espaço demais pra esse tipo de jogo em uma feira onde todos esperam coisas BEM superiores também é o fim da picada. Quanto aos rótulos hardcore e casual…isso é coisa de quem curte elitismo…”jogo games hardcore então sou mais adulto” qualquer game pode ser jogado de maneira hardcore…até mesmo os da série Mario, não precisa de sangue e tripas para isto.
      E realmente o que mais me cansa é isso…cara é surpreendente…você vai nos tópicos e nos reviews de games como Battlefield e variantes e tem mó povo metendo a lenha e xingando o jogo…então como vende TANTO??? Depois lançam uma continuação sem quase nada de novo…e molham a mão dos caras da IGN e Gamespot…e lá vão os “gamers” comprar mais um jogo…pelo amor de Deus, é um circulo vicioso de “comprei, mas vou xingar e dizer que não compro de novo…ah vai sair outro…dane-se eu vou comprar”
      Obrigado pelo elogio velho, fico feliz que tenha dividido a mesma opinião que eu sobre esse assunto, e infelizmente é por quê somos realistas mesmo…os gamers reclamam mas eles mesmos ferraram o mercado da qual são alvos.
      Outro abraço ai!

  4. Marques disse:

    Concordo, em geral todo mundo desceu a lenha na e3 esse ano. Mas isso não é de hoje, o mercado de games vem “perdendo o foco” faz algum tempo. Eu continuo com meu megadrive e meu NES então realmente não me importo. O mercado de games está se parecendo cada vez mais com Hollywood, com seus enormes orçamentos e grandes campanhas de marketing para promover os jogos. As empresas estão mais preocupadas em impressionar o consumidor com trailers super elaborados e novidades chamativas mas pouco uteis e assim faze-lo comprar do que preocupadas em fazer jogos de qualidade.

    • Tiago Steel disse:

      Pois é Marques, a E3 desse ano realmente se superou, sempre teve edições que foram uma porcaria, mas esta foi á nivel colossal! Como você mesmo disse o mercado de games está se parecendo demais com Hollywood, principalmente no quesito estética, os filmes hoje também sofrem com isso, os produtores acham que bons efeitos especiais, atrizes gostosas e explosões é o que importa e acabamos ficando com uma porrada de filmes sem conteúdo. Os jogos estão por este mesmo caminho, o que eu ví na E3 foram games violentos para um público jovem “mamãe quero ser Hardcore” onde o foco era matar, matar e matar como se os gamers de hoje só quisessem saber disso. Ou jogos com gráficos ultra realistas que nos trás cada vez mais próximos…DO QUE JÁ ESTAMOS CANSADOS DE VER! Sério, se eu quiser ver um gráfico realista saio na rua…não tem gráficos melhores do que a vida real, quando pego um game quero fantasia, gráficos estilizados, personagens cativantes coisas que não consigo ver por ai, que só são possíveis nos video games…mas infelizmente isso anda ficando cada vez mais para trás, lá na época saudosa dos 8/16 bits mesmo.
      Os consoles de hoje tem potência de sobra, potência essa que só é usada para fazer mais do mesmo, falta inovar, criar franquias e jogabilidades diferenciadas, games inteligentes, e se afastar um pouco do “realismo”. O que me deixa mais triste enfim é ver como muitos sites/blogs de video games em geral engolem toda essa porcaria que as empresas mastigam e ficam com dedos cruzados para o lançamento de um novo Call of Duty ou Assassins Creed, e tendem a debochar de muitos outros jogos que são bem mais criativos ou saudosistas, o que nos mostra que o rumo que a indústria de games vem seguindo está INFELIZMENTE agradando á uma parcela de consumidores alienados que só se importam em matar, matar, matar…e olhar para gráficos que poderiam muito bem aproveitar simplesmente olhando pela janela de casa.
      Obrigado pelo seu comentário, e volte sempre!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s