Remember: Série Clock Tower ( Parte – 2 )

Olá novamente á todos os frequentadores do Retro Journey! Pois é e para provar que até mesmo um cara pontual como eu ( sério, se não acredita…vai ter que ficar apenas com a minha palavra como garantia mesmo! ) ás vezes pode atrasar mais do que busão de capital, enfim está saíndo a segunda parte do meu post sobre a série Clock Tower, que de tanto tempo que ficou no forno quase queimou!
Desta vez vamos nos aventurar pelo jogo que apesar de levar o mesmo nome do anterior na verdade é a continuação do mesmo ( explicarei melhor á diante ) então se tiver coragem o suficiente venha comigo para não se esquecer que até mesmo um anão com uma tesoura gigante pode ser algo assustador!

Provavelmente é assim que ela se sentiria se estivesse jogando este game.

Provavelmente é assim que ela se sentiria se estivesse jogando este game.

Lançado inicialmente no japão seu país de origem em 1996 e logo no próximo ano para a américa, Clock Tower é a sequência do primeiro jogo para Snes no japão ( onde óbviamente é chamado Clock Tower 2 ), como o primeiro da série não havia visto a luz do sol aqui deste lado do mundo sua continuação passou a ser então o primeiro, fato que ocorreu bastante com a série Final Fantasy aqui no ocidente também diga-se de passagem, onde o IV era chamado de II e o VI de III.
Confusão explicada vamos ao que interessa…falar deste terror de jogo ( notem que não é jogo de terror… ), em seu lançamento Clock Tower ainda podia se aproveitar do ar de “novidade” que os survival horrores tinham, afinal enquanto o cinema já havia passado pelos terrores pastelão dos anos 70 aos terrivelmente gore e violentos dos anos 80, nos video games a história era outra já que seu principal expoente na época era o inovador Resident Evil que pegava o que havia de melhor na antiga série Alone in the Dark e misturava com ótimos gráficos pré renderizados ( que fez muita gente babar só pelas fotos das revistas especializadas ) uma pitada de ação e uma estória digna dos maiores filmes B…não esquecendo é claro das cafonas ceninhas em FMV usando péssimos atores reais.
Seria fácil dizer que Clock Tower estava então entrando no “mesmo barco” que Resident Evil por ser um Survival Horror…não fosse o fato do primeiro da série ter sido lançado para o Super Famicom ( o SNES japônes ) um ano antes no japão.

Se o seu chefe um dia zombar de você por acreditar no Scissorman...não se importe geralmente chefes sempre estão errados mesmo.

Se o seu chefe um dia zombar de você por acreditar no Scissorman…não se importe geralmente chefes sempre estão errados mesmo.

Passada a aula de história vamos enfim falar do jogo em sí…e é isso que mais assusta. Primeiramente é dificil explicar Clock Tower já que ele acaba no final gerando uma mistureba de satisfação e insatisfação, o game não é totalmente ruim para quem esta familiarizado com o anterior já que sua jogabilidade usa o mesmo sistema de point and click ( alguém ai disse Lucas Arts? ) do mesmo, porém para quem não conhecia/conhece o Clock Tower original de SNES e está mais acostumado com Survival Horror’s com mais ação como Resident Evil e Alone in the Dark, a maneira como Clock Tower é jogado pode a primeira vista espantar, principalmente na época do lançamento onde o primeiro jogo da franquia era desconhecido por muita gente aqui no ocidente.
Como muitos jogos do estilo, Clock Tower exige muita paciência para aguentar a movimentação lenta e um tanto dura dos personagens, a exploração é típica dos point and click’s o que acaba muitas vezes gerando o maldito backtracking ( aquele esqueminha “amigavel” de achar um ítem e ter que voltar um longo caminho até achar onde deve usa-lo ) e o que piora tudo isso é o fato do jogo praticamente não ter músicas. Os gráficos em contra partida podem dividir opiniões, eu particularmente sou muita mais fã do belíssimo 2D usado tanto nos personagens quanto nos cenários do primeiro Clock Tower, porém nesta continuação para o potente ( na época… ) PSX os produtores do jogo preferiram se aproveitar da novidade que era o 3D, deste modo todo o jogo é gerado com estes gráficos, para começar os modelos dos personagens deixaram muito a desejar e os cenários apesar de não serem de todo ruins muitas vezes tinham um certo “vazio”, na época com certeza eram bem mais belos de serem vistos do que são hoje em dia é claro, mas ainda assim tanto antes quanto depois seria preferivel uma continuação em 2D mesmo já que isso mascararia as dificuldades técnicas do console da SONY que aparentemente na época eram nulas, mas que hoje em dia envelheceram terrivelmente á ponto de exigirem muita tolerância de quem for encarar o game nos dias de hoje.

Scissorman: Caramba! não se pode nem ter privacidade pra cortar alguém ao meio mais!!

Scissorman: Caramba! não se pode nem ter privacidade pra cortar alguém ao meio mais!!

Scissorman strikes back!

Óbviamente que apesar da parte técnica do jogo ser importante, a estória é o principal motivo para alguém jogar Clock Tower, neste quesito o game atrairá tanto fãs de um terror/suspense quanto os fãs do primeiro jogo já que da continuidade á estória do mesmo.
Jennifer após ter sofrido nas mãos do assassino da tesoura durante o primeiro jogo e ter escapado agora vive com Helen uma jornalista que investiga o massacre causado pelo Scissorman, óbviamente que mesmo após algumas sessões de terapia para tratar seus traumas Jennifer ainda não está totalmente curada de tudo que passou na mansão Barrows, afinal ter muitos de seus amigos mortos e ser perseguido por um anão deformado que carrega uma tesoura gigante não é facilmente esquecido, a não ser que você seja um protagonista de algum filme da série Sexta-Feira 13.
O problema começa quando derepente uma série de assassinatos cruéis começa a acontecer, e Jennifer logo percebe que desgraça pouca é bobagem já que aparentemente quem está por detrás destes assassinatos é o famoso perseguidor Scissorman, Helen sua “mãe adotiva” também percebe isso cedo afinal vilões de filmes/jogos de terror sempre voltam do limbo pois possuem uma base imensa de fãs. Alguns dos outros personagens do jogo logo começam com teorias de que se for mesmo o Scissorman o assassino, poderia muito bem ser um impostor se passando pelo original, de qualquer maneira Helen está diposta a desvender este mistério.
O jogo é dividido entre a exploração pelos cenários do jogo e a navegação por um “mapa” da cidade onde o jogador tem acesso á outras áreas que deve-se visitar para que o enredo avance, vez ou outra o jogo faz uma pausa na investigação e então o jogador pode conversar com os outros personagens da trama, dependendo das decisões tomadas nestes momentos é que o personagem usado na sequência será decidido, e isto com certeza aumenta o fator replay do game já que de acordo com suas decisões um cenário novo pode surgir na segunda vez que jogar. Mas não importa como o jogador fizer suas decisões Scissorman sempre estará lá pronto para persegui-lo e corta-lo ao meio, neste ponto a jogabilidade é idêntica ao de seu predecessor já que na maioria das vezes a única maneira de escapar do anão assassino é correndo e se escondendo, desta vez o jogo conta com mais locais para se esconder assim como alguns objetos que podem ser usados como armas improvisadas para incapacitar o implacável perseguidor. Algumas armadilhas do cenário tambem ajudam na fuga do jogador, algo que aliás sera feito muito mais do que no game anterior já que agora Scissorman aparece bem mais, os encontros com o assassino da tesoura agora geralmente são aleatórios e ele pode aparecer até mesmo quando o jogador passar muito tempo explorando a mesma sala. O famoso “botão do pânico” existente no primeiro jogo também está de volta para safar os jogadores menos cautelosos das garras ( ou seria tesoura? ) de Scissorman dando-lhe um belo chute nas bolas! para que isso não seja algo fácil óbviamente á uma limitação para quantas vezes o jogador pode ativar o botão do pânico, se usado uma vez a energia do protagonista ficará laranja, se usado novamente, vermelha e assim o jogador perderá a habilidade de chutar o saco do anão ( isso soa tããão errado ).

Com certeza essa não é uma maneira muito digna de se morrer...

Com certeza essa não é uma maneira muito digna de se morrer…

Deu para notar que mesmo melhorada a essência da jogabilidade permanece a mesma, explore os cenários, encontre ítens, resolva puzzles…e eventualmente fuja do Scissorman até chegar ao desfecho da estória onde o foco é descobrir a identidade do mesmo. Porém esta continuação peca pela falta de charme dos gráficos, pelos personagens menos inspirados do que a orfã Jennifer e principalmente pela dublagem americana onde mais parece que o estúdio pagou a turma da limpeza para dublar os personagens.
Mas apesar da falta do charme do anterior , esta continuação não é de toda ruim, como citei anteriormente, se você conseguir passar por cima dos defeitos literalmente visiveis deste jogo, de alguns erros de continuidade estranhos ( em uma parte do game por exemplo um dos personagens diz que irá continuar explorando o castelo onde estão e entra em uma porta, se você entrar em seguida verá que dá em uma sala totalmente fechada, sem saída alguma…mas o cara não está lá dentro!!! ) e da parte sonora fraca, vai encontrar o mesmo game aterrorizante do SNES, a investigação está lá, os puzzles estão lá, as perseguições um tanto bobas porém desesperadoras de Scissorman estão lá e o enredo de horror/suspense…também está lá. Portanto mesmo tendo envelhecido mal, como a maioria dos primeiros games em 3D, Clock Tower ainda consegue manter a chama do primeiro game e mostra mais uma vez que o temível Scissorman ainda é um dos vilões mais memoráveis dos games de horror!

P.S.: Na continuação desta série de posts sobre a série Clock Tower irei abordar o sem salvação Clock Tower II: The Struggle Within…então se tiverem coragem ( e paciência ) nos encotraremos novamente…isso é se o Scissorman não aparecer para ninguém!

E lembrem-se crianças, caso o Scissorman realmente apareça, aqui está a tática!

Esse post foi publicado em Remember e marcado , , . Guardar link permanente.

17 respostas para Remember: Série Clock Tower ( Parte – 2 )

  1. nesses dias estava realmente pensando quando é que o Tiago faria uma matéria sobre o Clock Tower…e olha só, não é que ele fez?

    como é a continuação da história da Jennifer, terei de dar uma paradinha em Druaga para ver esse jogo. mas não entendo, ele não pode ser o anão, mas como?….terei de jogar mesmo, vou baixar o game agora e durante a semana eu falo. espero sobreviver

    e o Clock Tower 2…..não posso dizer muito, mas digamos que os professores e colegas da Alissia(nome da heroína do jogo) mereciam morrer…vai ler o enredo do game que você vai entender

  2. Tiago Steel disse:

    Pois é Leandro então adivinhou meu pensamento pois eu também estava me cobrando essa continuação dos posts sobre Clock Tower. XD
    Se vai joga-lo também esteja preparado para como eu disse aguentar alguns probleminhas chatos, sendo que o pior é como o game envelheceu mal por ser do PSX…se fosse de SNES tenho certeza que seria bem mais belo de se olhar!
    Quanto ao Clock Tower II eu já o joguei quase ate o final, só estou terminando para fazer a continuação dos posts…mas acredito que desta vez INFELIZMENTE serei obrigado a detonar o jogo viu hahaha, ta sendo um sacrificio jogar aquilo XD

  3. leandroleonbelmont disse:

    aqui vou falar o que passei no jogo hoje, eu iria chegar mais longe hoje. mas graças a contas no banco e a ISO do game com defeito…argh,

    na apresentação do game, mostra alguma imagens(bem poucas) dos eventos de Clock Tower do SNES, até a parte do Dan Barrows perseguindo a Jenny…para virar pó em seguida. na tela de titulo, sequer tem as badaladas do sino, onde me fez cagar nas calças logo de cara no notebook…pelo menos fizeram uma Jenny bonita no tela inicial do jogo, já no game em si….

    graças aos assassinatos estranhos a moda Scissorman, eles levam a garota para um especialista onde poderia se lembrar dos traumáticos eventos passados para ajudar os tiras. mas a Helen, não permite.(alias, acho curioso que a apresentação antes da tela de título seja o Prof. Barton entrando na mente da Jennifer e ela se lembrando de tudo aquilo.) e vai para casa com a garota, bufando de raiva.

    controlando o Prof. Barton, fui ver a cadeira e ele menciona que dez pessoas já morreram e a parte que fiquei mais encucado foi essa:

    Prof Barton:Jennifer Simpson, uma das duas pessoas sobreviventes….

    para esse trem…eu disse ´PARE ESSE TREM!!!

    (sons de freios e trem descarrilhando)

    embora no Clock Tower 1 do SNES, eu tenha feito o final que a Jenny salva Ann, na história oficial, ela é a unica sobrevivente do massacre, então cuma que existe outro sobrevivente???

    esquisito……

    em seguida, verifico a mesa e vejo o tesourão do anão (isso soou mal, muito mal) e tudo fico vermelho…besteira, saí da sala. e vejo que tem uma estranha estatua purpura numa das mesas e parece que foi achada num dos crimes e parece misteriosa. converso um pouco com Beth e ela fala que Helen e Jenny lembram irmãs de verdade. o Prof. Barton “super sensível’ diz para não se afeiçoar, elas são apenas estudo para os assassinatos…sujeito chato. e outra coisa me intrigou, numa das mesas, há uma máscara. que segundo ele, era o que Scissorman usava….

    para tudo de novo produção, há um problema aqui.

    pelo que eu sei, Dan e Bobby Barrows não usavam máscaras. eles já eram feios feito o Preula Viva desde bebês…tipo pânico na floresta, como me veem com essa que eles usavam disfarces???

    novamente…esquisito

    verifico uns papeis perto dos computadores e falo com Danny. que me avisa sobre os repórteres que vão entrevista-lo e essa besta quadrada fala que seria “muito legal brasa mora” se o Scissorman fosse real…eita gente idiota, viu. saio da sala e encontro Harris. se falar com ele uma vez, você controla Helen, se falar uma segunda vez com ele, o sujeito pergunta sobre a Jenny. e nós passamos a controla-la a maior parte do tempo. preferi ir com Jennifer, Claro.

    em seguida, desci o elevador para o primeiro andar e os homens da tv o entrevistam…depois de muito blablablabla desnecessário, o Professor encerra a conversa e sobe novamente para o segundo andar, onde espera o outro sobrevivente…chego no escritório e examino a estatua roxa, falo com o Harris e novamente mexo na estatua. Barton menciona que tem de escolher entre levar o artefato para o Prof. Sullivan ou para o Mordomo da Mansão Barrows chamado Rick…. e pelo que me lembre, não havia nenhum “Alfred” naquele lugar amaldiçoado, então…

    os caras que produziram esse game, sequer jogaram o primeiro Clock Tower. tenho certeza disso.

    continuando, se quiser fazer o final bom, entregue a estátua para Sullivan escolhendo a Opção NO quando aparecer. eu fui para a porta azul atrás do Harris e me deparei com uma mulher e um garoto, eles batem um papinho e encerrou aí.

    na cena seguinte, Jennifer estranha a demora da Helen e vai atrás dela. há um mapa mundi e escolha university building reasearch. vai rolar um papinho e novamente estará no mapa, vá para o Hotel Internacional Noruega para se encontrar com Kay e Edward…o moleque é um dos sobreviventes do massacre…estranho, o pirralho se veste igual a Scissorman….claro que a Jenny nada estranha….

    ela resolve ir para o University Staff Housing e ela repara alguém esperando em frente ao lugar. é o reporter Nolan que quer marcar uma entrevista com ela e marcar um encontro……e ela aceita

    FREIO MAIS UMA VEZ…PELA SANTA MÃE DO GUARDA!!

    olha,a cena é estranha. Jenny vai para casa e dá de cara com um repórter na frente da residência, que obviamente não trabalha na tv. ela o convida a entrar, a cena da conversa se passa num lugar onde lembra o quarto da moça e aceita o convite para jantar de um cara que tem 26 anos, 11 anos mais velho do que ela……eu não sei vocês, mas se eu fosse garota que sobreviveu a uma série de assassinatos e soubesse de um psicopata que lembra o tal algoz estivesse na cidade, não seria nada inteligente convidar um estranho para entrar na sua casa. de duas uma, ou a Jenny ficou retardada nesses dois anos ou os produtores do game são holandeses ou noroegueses, onde crimes brutais e violência contra mulheres nunca acontece.

    ou esse Nolan deve ser mesmo bonitão…se bem que fosse assim, esse cara tem problemas por invés de ter uma Sophie Monk ou Elisa Cutbergh prefere cantar uma adolescente…..se fosse comigo, ela me daria um fora e riria na minha cara e botaria no Youtube para completar a humilhação….a vida é injusta e estranha.

    mas tarde, ela esta andando tarde da noite, e sente que está sendo seguida…..

    outro dia falo mais, essa conversa da Jenny e Nolan….arghabblalaguagaua!!

  4. leandroleonbelmont disse:

    continuando….

    Jennifer sente que está sendo seguida e pica a mula até entrar num lugar. ela chega no lugar onde o Prof Barton estava no inicio do game, um guarda aparece e pergunta o que houve:

    Jennifer: socorro, alguém está me seguindo…

    o que seria as ultimas palavras do guarda: por acaso seria algum esquisito…..?

    …………..

    o guarda é empalado por uma tesoura ENORME!! Scissorman is back!!

    BWAHAHAHAAHAH!!!

    Jenny automaticamente corre para dentro e ele a persegue. eu segui reto até achar a porta para o banheiro, não é o lugar mais inteligente para se esconder de um psicopata, mas estava desesperado….acho que agora meio que entendo quando os atores desses filmes se escondem em cantos fáceis de serem encontrados. ela entrou num dos cúbiculos e ficou lá, forçando a porta e rezando para ele não entrar….

    depois de um minuto borrando nas calças, resolvi sair. ele tinha ido embora. daqui siga para a esquerda e entre na segunda porta(assim que você chega nesse corredor, a primeira porta a partir da direita) assim que entrar na sala de caixas, Scissorman bancou o Jason e apareceu do nada na sala, corri de volta para o banheiro. só que dessa vez, o Scissorman forçava a porta, nessa hora, vi um esfregão e cliquei nela. Jenny se preparou e a porta se abriu, quando ele entrou….pimba! o cara ficou inconsciente. acho que é melhor salvar nessa hora….

    voltei para a sala de caixas, procure numa das estantes a frente e ache o “Oil can”(tem de achar esse item para fazer o final bom. NÃO SE ESQUEÇA DISSO!! ) saia da sala e siga em frente até achar a porta do elevador, mas não entre. vá a sala ao lado e entre.estará na sala do piano. haverá um guarda nessa sala, vai por mim. NÃO O INCOMODE!! na mesa há uma chave, pegue-a e vá embora.

    daqui você pode subir para o ultimo andar e encerrar o cenário, é sério. no terceiro andar não tem nada para se ver, a menos que você queria achar um corpo morto na sala do Prof Barton. e nada influencia para o melhor final. e há uma boa chance de encontrar o miseguento do tesourão. VÁ PELAS ESCADAS e vá até o fim. lá se achará uma escada de emergência perto de um porta vermelha. há se por acaso, ouvir a música do Scissorman nessa hora, dê load e faça tudo novamente. garanto que ele não estará mais lá. use a ladder key que achou naquela mesa com aquele guarda que TENHO CERTEZA QUE VOCÊ NÃO MEXEU NELE. na portinha cinza e saia

    cenário 1 completo…UFA!

    estarão Jennifer, Helen e o inspetor conversando sobre o que aconteceu. Gotts ainda não acredita na história. ele recomenda a Jenny voltar para casa que o inspetor vai mandar um guarda para vigiar a sua casa….(que convenhamos, duvido que ele seja um Steve Seagal para protege-las. ou um Chuck Norris……não, nesse caso, o Scissorman se mataria só de pensar em dar de cara com o sujeito. mas enfim…) fale com Helen quando o Gotts para de falar até parar no mapa.

    amanhã eu falo mais, o meu pc está dando pau aqui.

  5. vamos simbora, temos um psicopata para pegarmos….

    no mapa, vá para o University Research Building e bata um papo com a Helen, ela fala sobre a estátua e que o Dr. Sullivan pode ter levado o artefato a Biblioteca municipal ou para o tal mordomo Rick, ela resolve ir a Biblioteca primeiro e Jenny vai ver o tal mordomo e perguntar a Nolan. e antes de encerrar a conversa, curiosa ela pergunta a Jenny.

    Helen: Quem é Nolan, Jennifer?

    a garota fica sem jeito e diz para ir andando…hhhhmmmmmmm…….

    ela vai ao Oslo Week News paper Company. (que nome grande para um jornal) e vai falar com Nolan. após um bate papo, Jenny fala da estátua e Rick. Nolan se oferece para pegar o artefato para Jenny. nessa parte, DIGA NO(NÃO) pois a Helen já está no encalço da pista.(SE ENTREGOU A ESTÁTUA A SULLIVAN DIGA NÃO A NOLAN, PARA FAZER O FINAL BOM)

    a partir daqui teria de controlar Helen, para procurar pistas sobre o Scissorman. falei com a recepcionista e disse que o Sullivan está no seu escritório. segui em frente a porta dupla transparente. na sala seguinte, dei de cara com o fedelho do Edward(eu sou meio um pé atrás com esse moleque…) e Helen puxa assunto.

    Helen: Edward, o que faz aqui?
    Edward: estava chato no hotel….

    claro,EXTREMAMENTE NORMAL um garoto de 10 anos se chateia num hotel de luxo e vai se divertir lendo livros? porque ele não foi ver desenhos animados na tv a cabo do hotel? ou brinca com os brinquedos dele? ou com os amigos? se fosse um adolescente CDF aí vai, mas uma criança?

    muuuuuitoo estranho….

    Helen pergunta se a Kay (sua guardiã) está com ele, e Edward diz que não…acho que Kay não vê nada demais o seu filho adotivo numa biblioteca, pois afinal, o que poderia dar errado?

    deixei ele com seus livros e segui em frente. no corredor entrei na terceira porta em frente a escadaria e encontrei o Prof. Sullivan. ele entrega a Helen um chave para a secção particular e Helen pergunta sobre a estátua. ele diz que a entregará mais tarde. segui em frente e parei em outro corredor parecido, entre na sala do meio e vai começar a tocar uma música de suspense. procure o livro perto da escada e Helen vai notar que é a secção de livros ingleses. suba na escada e ela vai achar “Senhores da Inglaterra do Norte” Lords of Northern England e começa a ler…até pegar no sono.

    mais tarde, a recepcionista acorda a Helen e avisa que a biblioteca está fechando. ela saí da sala e os gongos do sino começam a tocar(Clock Tower sem sinos badalando em alguma fase não é Clock Tower) e Sullivan saí da sua sala e ambos vão investigar no andar superior. o estranho é que segundo Sullivan, o Sino está quebrado e não badala há anos…quando chegam na sala…..o velho faz uma coisa MUITO IDIOTA e morre. não sei se rio ou se choro ao ver a cena.

    tudo se escurece, e adivinha quem aparece? Scissorman, DÃH! o que esperavam? o Batman?

    saí do lugar e desci as escadas entrei na primeira porta, onde parou no escritório. cliquei numa lâmpada na mesa e o esperei. o Scissorman chegou perto até demais, e Helen arremessou o objeto nele.(que vamos combinar, ele é burro feito o Quiko) o fazendo cair. saí da sala e a mulher houve uma voz no andar de cima…era a voz do moleque? fui subir e não havia ninguém. as correntes no chão ganharam vida(??????) e prenderam o pé da Helen. e para completar a desgraça, o Scissorman aparece…

    tão de brincadeira, só pode.

    nesse momento APERTEI O BOTÃO DE PÂNICO FEITO UM CONDENADO, e ela conseguiu se soltar e sair da sala. desci as escadas e entrei na sala onde Helen estava lendo o livro e cliquei na escada. Scissorman, burro que só ele, caí na armadilha e fica inconsciente. de novo.
    saí da sala e entrei na porta a esquerda, dando parar na sala onde achei o Edward. segui em frente e estava onde comecei o cenário.

  6. leandroleonbelmont disse:

    entrei na porta atrás do balcão de recepção. entro na sala e a cadeira se move sozinha. vejo o que é e olhem, é o Edward escondido. o que me faz pensar, se esse moleque estava escondido ai o tempo todo, como se ouviu a voz dele na Torre do relógio onde Sullivan morreu?

    eu ficaria desconfiado, mas a Helen NADA suspeitou…ela levou o Edward para aquela sala restrita onde estava lendo sobre os livros da Inglaterra e mandou ele se esconder embaixo da mesa. fui na parede atrás deles e cliquei, havia uma pequena passagem para ventilação. Helen diz que o moleque pode passar pelo caminho. mas prefere achar a estátua primeiro. saí da sala e entrei na porta perto da escadaria. no lugar vi a mesa e há uns papeis de personalidades criminosas e num deles, há a do Prof. Barton(?????) verifique mais uma vez e Helen achou a chave para a Collection Room. uma sala onde Sullivan mantém seus tesouros pessoais. abri a porta a esquerda com essa chave e parei num lugar escuro.

    nessa sala, mesmo escura. dá para ver o sacana do Scissorman escondido no aquário. mas tem que mexer nele para ligar a luz do lugar. liguei e começa a perseguição. corri até a sala da recepção e me escondi embaixo do balcão…parece ter funcionado, pois ele desistiu de procurar…pra um assassino, ele não é muito determinado a procurar suas vitimas.

    depois de confirmar se a barra estava limpa, voltei a aquela sala do aquário. e lá achei a maldita estátua. agora é dar o fora e acabou….UEBA!!!

    ah, não….ainda tinha que livrar aquele Edward…..por mim o deixava lá, mas Helen é boa gente e vai ajuda-lo…

    voltei ao inicio do cenário, e graças a Deus, havia barulhos e luzes de sirenes, alguém fez o favor de chamar a polícia. ignorei,isso e fui a sala onde encontrei o Edward escondido, verifiquei a mesa ao lado daquela onde há um computador e achei o Screwdriver. voltei para sala onde deixei o moleque(na sala de leitura onde Helen estava antes dessa desgraça ocorrer) e abri a portinha de ventilação com o item encontrado. Helen chama o garoto para ele escapar pela passagem e ele obedece. alias, reparei que ele é muito alto para uma criança de 10 anos…..ou vai ver que as crianças europeias são altas mesmo, vai saber né?

    no fim, voltei ao inicio do cenário,e ainda bem que rola uma cena automática que Gotts aparece e Helen desmaia ao vê-lo. eu teria borrado e molhado as calças ao mesmo tempo,

    foi nojento esse comentário, desculpe Tiago e a quem estiver lendo isso.

    Jennifer se pergunta se Helen conseguiu achar a estátua. o mapa vai aparecer. se dirija ao University Research Building. e Helen vai contar sobre o ataque a livraria, sobre achou pistas sobre o assassino, sobre um castelo na Inglaterra de um monstro ter nascido lá e outras coisas e Jenny resolve espalhar a notícia…no hotel internacional norway ela avisa a Kay e Edward sobre as pistas, Jenny também se dirige ao Oslo Week News paper Company e também fala ao Nolan e seu amigo Tim e ainda vai ao Police Station e informa ao Gotts e Prof. Barton…depois volte ao University Research Building, Nolan e Helen se preparam para todo mundo ir para a Inglaterra descobrir sobre o Scissorman, cada um pelos seus motivos pessoais. o que achei meio ridículo é que Nolan parece empolgado demais por ir num lugar estranho num país distante. será que ele vai tentar algo com a Jenny lá? e de onde essas pessoas (ao total de 10 pessoas) arrumaram grana para viajar assim?

    para que ainda questiono sobre incoerências em games? ah, que se dane!.

    eles vão para o aeroporto e daí seguem para o seu destino. eles seguem por uma área florestal, a noite chega e resolvem acampar…..(pessima ideia)

    começa a cena onde Helen fica procurando a Jenny e Gotts procura Edward e Harris e ainda está preocupado com a Kay que ainda não voltou e aposto que Nolan também sumiu…..será que está com a Jenny explorando a floresta?

    *ARRAM*

    me enganei, na cena seguinte. Jenny está presa e amarrada e o Scissorman está perto dela……Danou-se Maria do Bairro!! é o fim da nossa heroína?

    não, exatamente. ele tira o rosto…máscara…sei lá cara, e se revela ser o Harris. ela se pergunta o porque dele estar vestido assim. ele diz que se obedecer a ordens de um certo alguém(que aposto que sei quem é) e matasse aquelas pessoas…ele teria a Jenny só para ele……………ah, não isso não vai acabar bem.

    só que nessa hora…o Scissorman aparece e mata o maldito. olha, o anão pode ser um psicopata e tudo mais, mas ele salvou a Jenny (não era a intenção dele, mas a salvou mesmo assim) de algo abominável nessa hora que ainda bem que não se concretizou. por mim ele subiu 0000000000000000000000000000000,1% no meu conceito.

    voltando ao detonado, Jenny sem agradecer o “salvamento” corre da sala. fui na sala a esquerda. me escondi num…provador de roupas(???) claramente Scissorman aparece e ela derruba ele com o provador. e saí da sala, mas tive que voltar a sala para procurar uma chave nas roupas. ela encontra a Stair Key. seria uma boa salvar agora.(sempre salve seu jogo.) voltei a sala anterior e mandei ela procurar nas estantes de livros ao lado da porta até achar o Foreing Note( é importante achar esse pedaço de papel) saí da sala e segui em frente. dei de cara com uma capela no minimo, saída de um dos games do Silent Hill. aqui só tem que pegar uma Star Plate nesse lugar. e saia pela porta a esquerda e estará numa sala com o corpo do inspetor Gotts no chão…vou verificar e ainda bem que ainda está vivo. bato um papinho com ele e o deixo descansar, na poça de sangue perto de Gotts, achei uma vela/candle. e boto a Stair key num buraco na parede perto de um caixão e uma escada desce do teto. onde será que vai dar?

    Jenny se esgueira num caminho estreito e para numa sala com uma lareira. siga em frente sem mexer em nada, ou o Scissorman vai aparecer. e ela para num Saguão enorme.do castelo, escolhi ir na porta ao lado e parei num quarto. salvei nessa hora, fui ver a cômoda entre as camas e um ratinho me deu um baita susto, ele fugiu para um criado mudo perto de um armário. verifiquei e achei a Library key.(não veja o armário) e saí do quarto. voltei ao saguão e desci para a porta inferior esquerda e parei num corredor escuro, que a unica luz vinha da própria Jenny. parei na segunda porta com detalhe triangular e acho algo que parece uma fonte e encontro o Prof. Barton. vivo.

    Jenny: Prof. Barton o senhor está bem?

    Barton: eu não estou ferido. esta é uma experiência importante para mim. porque estou no lugar dos assassinatos, uma situação muito intrigante….

    Jenny: hmmmm…..

    aposto que pensamos a mesma coisa Jenny: esse Barton é um imbecil…para se dizer o minimo.

    saí do local e parei em outro corredor parecido com o anterior, fui numa porta de madeira ao lado esquerdo e parei num quartinho, numa cama achei o Cooper Book(item importante) e dei o fora dali. fui na outra porta ao lado a direita e parei num outro corredor escuro e segui até achar outra porta marrom. encontrando a cozinha,salvei nessa hora a atravessei e segui em frente. e achei a dispensa. nesse momento a musica do Scissorman começa a tocar…

    simplesmente dei load, parei na cozinha, fui a dispensa e ele nem estava perto. é trapaça, mas é questão de sobrevivência, ora bolas.

    primeiro verifiquei o chão e Jenny nota que pode ser um piso falso, vi a estante em frente e ela acionou uma alavanca que abriu uma passagem, desci e encontrei o armazém de vinhos dos Barton, verifique o lugar e vá para escada subir, Jenny ouvirá algo atrás da estante…..fui lá ver e……ah, era só a Beth. que estava numa posição quase fetal de tanto medo, bati um papinho e ela me deu a Mansion Key…voltei a cozinha e fui a aquele corredor e voltei. no corredor onde estou há uma grade ao lado, eu não achando que fosse abrir, cliquei nela…não é que a mocinha abriu? há uma escada a frente, mas preferi seguir reto. use a Oil can para abrir a porta e fui parar num lugar no depósito. Jenny empurra um sarcorfago e a tampa se abre…tem um corpo de um Scissorman mumificado segurando uma chave Box Key…(quer dizer que até no Egito????) deixei isso de lado e fui ver na estande vermelha no nível mais inferior para achar a Rope. verifico o baú verde e a porta ao lado se abre.. uns morcegos chatos aparecem, mais é apenas susto. uso a Rope na porta para os morcegos não entrarem. abro o baú com a Box Key e adivinhem quem está lá?

    para o meu alívio, era a Helen(como diabos o Scissorman a enfiou aí???) ela diz estra apenas com a cabeça dolorida.(na posição que estava, na idade dela, ferrado a coluna, no minimo) e batem um papo. mostro a ela o Foreing Note e ela traduz o que está escrito. são palavras de encantamento…talvez para selar algum mal? ah, e ela também te entrega a estatua.

    saí dali e fui subir a escada que ignorei antes. cheguei ao andar superior e abri a porta. cheguei num outro corredor escuro e entrei na primeira porta. cheguei na sacada onde Jenny se mostra surpresa. vou até a porta e o Scissorman aparece. e cliquei numa perigosa e estreita fenda ao lado da porta. Jenny se aventura num trecho tão fino ao lado das janelas altas do castelo que pode ser quebrar a qualquer momento, e ele a persegue, porém desiste e Jenny entra numa das janelas, achando Nolan.numa sala cheia de ossos, eles conversam e crianças fantasmas aparecem cantando uma ciranda…

    essa foi a parte que mais me apavorou o game inteiro, quase derrubava o PC inteiro com o susto.

    segui em frente e voltei ao corredor escuro do saguão, segui em frente e entrei na ultima porta indo para a direita. cheguei num lugar diferente continuei em frente e achei a livraria da mansão. na estante de livros a direita há algo no alto do móvel, use a escada e pegue o Genealogy. a árvore genealógica da familia Barrows. voltei ao saguão e entrei na porta ao lado da esquerda. voltando a sala da lareira e achei o Tim. falei com ele, me dando Matches como caixa de fosforos. saia e desça ao andar inferior até a porta abaixo da porta superior esquerda. na sala de estar há uns quadros dos Barrows, verifique no meio da parede da sala e falara sobre Quintin Barrows que fala sobre o mapa para selar o mal está na livraria.

    fui naquela sala antes da livraria na mansão e verifiquei a lareira nesse lugar, Jenny diz estar muito escuro, na mesinha da sala há um mini candelabro onde usei a vela e acendi o fosfóro, automaticamente Jenny investiga a lareira e acha um mapa. fui na livraria(sala em frente) e usei o Cooper Book na estante a esquerda que uma outra estande a esconde, ela coloca o livro, se abrindo uma passagem secreta. na sala seguinte, há três buracos. essa parte é pegadinha. há três passagens, se for nas duas passagens erradas, game over e apenas uma é a certa. parece que tem de usar a Star Plate para achar o buraco subterrâneo correto. eu escolhi o caminho da esquerda e na pura sorte foi o caminho certo. Jenny desceu as escadas e acha uma porta. dentro há um altar macabro. embaixo dele há uma adaga. quando eu a pego, um esqueleto ganha vida. Jenny que não é boba nem nada, pica a mula dali.

    voltei ao saguão, desci e fui a sala da fonte onde deixei o Prof. Barton e mexi na valvula de água perto da árvore para secar a fonte. e desci uma looonga escada. parando num corredor sinistro, meio cavernoso….acho que já vi esse filme antes…

    fui em frente e havia uma porta cinza. há uma conversa entre Kay e Edward implorando para eles saírem dele e voltarem ao orfanato…mas ouço um grito, entrei temeroso. e olha só era o Scissorman. que a Jenny depois de um milênio, saca que ele é o Edward.

    aquele pirralho cheirando a Ovomaltine nunca me enganou….só que ele fala que seu segredo foi descoberto. e a revelação se diz:

    Scissorman: mas o meu nome nao é Edward, é Dan….Dan Barrows…

    WTF???? cumé que é Waldo??? 0__0

    P@!#$!#$ M#@#@#@$!!!

    é impossível, ele não pode ser o Bebê sob a estrela….caraca….não pode ser. ele foi feito em pedaços…pela santa mãe do guarda. p@!$@@%%@!!

    foi mal pelas palavras censuradas de baixo calão, mas cara, essa foi de lascar.

    mas voltando, quando tudo parecia perdido, Nolan aparece e tenta confrontar Edward…Dan…Bob Barrows…tanto faz. Jenny atravessa aponte correndo e (lembre-se de equipar a estatua nessa hora) para em frente a um pedestal onde serve para colocar a estatua. ela põe e diz as tais palavras mágicas e um portão maligno se abre. e começa a sugar tudo na caverna.

    nessa hora, Equipe a ADAGA!!

    Scissorman vendo que ele ia se ferrar, resolve levar a Jennifer junto. e ambos se seguram como podem em frente ao portal. use a adaga no maldito para ele largar a Jenny e o portal o engolir….

    MORRREEEE MALDITO!!!!!

    e o final…bem, ainda bem que a Helen os achou nos escombros. ou eles iam…..vocês sabem.

    Fim….

  7. olha, esse jogo é……bom, mas o do SNES tinha mais o clima de suspense. mas é devido aos gráficos que era na época os produtores ainda não sabiam o que o PS1 poderia fazer. e o enredo tem muita coisa confusa (e nada a ver). mas vale a jogada.

    a música do Scissorman é fraquinha e o mesmo nem é lá grande coisa. no SNES, quando ouvia o tema, eu dizia: Ferrou!! (na verdade, dizia outra coisa) já nesse: ah, saco lá vem ele. e sem falara que ele não é anão, é só um cara de altura mediana com o corpo envergado. até eu posso imita-lo.

    agora a pergunta que não calou desde que terminei o game e mal dormi pensando: como Edward pode ser o Dan Barrows?

    ……….pelo que sei, parece que o Dan no Clock Tower 1, mesmo sendo um balofo enorme e nojento, tinha poderes psiquicos. não como a Jean Grey ou o Prof. Xavier, mas tinha. a minha teoria é que com a morte de Bob, a sua alma entrou no corpo do irmão(que o corpo é imortal…eu acho) e daí se passou por Edward…mas como ele teve o rosto de uma criança normal, se era feio feito a peste?

    vai ver fez cirurgia plástica em si mesmo, quem sabe?

    e gostaria de saber se o caso da Jenny com Nolan deu certo. ou será que ele só queria um pedaço da torta da garota?

    Jenny….torta…..American Pie, cês sacaram não é?

    esperando a matéria do Clock Tower 2, e o que a personagem Alissia vai encarar.

    • Tiago Steel disse:

      Opa Leandro! Pô velho se alguem um dia me disser que precisa de um “detonado” pra esse Clock Tower mando eles lerem os teus comentários aqui! hahahaha
      Brincadeiras á parte, que bom que curtiu meu post ao ponto de ir jogar o game todo…fico feliz quando alguém se estimula a partir de algo que falei, quanto ao Clock Tower 2 eu já to quase terminando ( jogando á passos de tartaruga ) mas infelizmente não to tendo boas impressões, veremos quando eu começar a escrever o post XD

  8. kidy_xfire disse:

    Fala Tiago blz cara? Como sempre seu post esta muito bom. Parabéns. Este game me parece ser muito louco. obrigado por nos fazer relembrar destes ótimos jogos que fizeram história. Valeu

    • Tiago Steel disse:

      Opa Marcelo, valeu velho! E sim esse Clock Tower é legal…MAS ainda continua sendo inferior ao primeiro para o SNES…os motivos eu citei no post e tal…mas enfim nada impede alguem de achar que essa versão seja melhor né? XD

  9. Ultimecia disse:

    Muito longo nem li pros comentários do Leandro LoL
    Tá, zuera.

    Eu sempre ouvi falar muito, mas MUITO ruim destes dois games. Deve ser como jogar o Alone in the Dark novo, mas versão Wii +_+
    Quando for escrever do Clock Tower 3, vale lembrar q Hauting Ground (Demento no JP) começou a ser desenvolvido como Clock Tower 4 e tem muitas coisas da mecanica, como se esconder e muita investigação
    Só digo q os gemeos Scissor do CT3 são muito fail de J-Pop/Rock

    • Tiago Steel disse:

      Então…esse Clock Tower pelo que andei vendo por ai tem muita divisão…uns curtem, outros acham uma bela de uma porcaria…eu prefiro ficar no meio a meio, o game é sim bem meia boca, mas se você gostar de uma história de terror e do esquema point and click vai encontrar um jogo bem mais divertido por detrás. Te garanto que é bem melhor do que o novo Alone in the Dark…aquele jogo fede…e olha que joguei no PC, fui seco atrás dele por ser fã da série…mas aquilo lá não dá não…tá maluco, nem sendo o maior fã pra engolir aquela porcaria.
      Quanto ao Clock Tower 3, pretendo parar no 2 mesmo o Struggle Within que já to achando fraquissimo…pelo que ví do terceiro não me animei nem um pouco, fora que é de PS2 e acaba indo um pouco contra o “retro” que tem no nome do meu blog né? hahaha XD
      Valeu pelo comment, volte sempre!

      • Ultimecia disse:

        Aí é q tá: qual é oq define um game ‘retro’? O sistema? O ano do lançamento? Se pensar bem, PS2 é retrô pq não é um sistema atual. Game velho? Clock Tower 3 vai fazer 10 anos em dezembro (pelo menos a versão JP). Mas tmbm, nada d+ tmbm
        A ideia é interessante: viagens no tempo com vários perseguidores baseados em serial killers na vida real, mas os hiding spot foram mal-implementados (perto do Clock Tower original, não joguei os do PS1) e… What? Boss fight? Se ela podia meter umas flechadas na ideia desde o começo, pq fugia dos caras enquanto coletava evidencia? Se não tivesse estes segmentos ou se fosse implementados q nem no Haunting Ground seria perfeito.
        O Haunting Ground é muito mais fiel a série Clock Tower, apesar da nova mecanica (o cão) e uma temática muito, mas muito mais adulta (morrer é uma opção até q “boa” perto de alguns finais e game overs)

  10. Tiago Steel disse:

    Então, o que define um game retro é complicado, já vi gente discutindo isso por ai, eu sinceramente acho que alguns games de hoje podem entrar no termo “retro” como é o caso do Rayman Origins…porém quando comecei o blog pensei muito bem até em colocar ou não o Dreamcast na lista de sistemas “retro” da qual eu falaria. No final das contas resolvi que sim, principalmente por quê eu tinha muita coisa para falar dele e também é um console que nem todo mundo conhece ou tem experiências…mas já o PS2 independente do game ( e olha que já tive vontade de falar sobre Viewtiful Joe, Dragon Quest VIII games que capturam bem a alma “retro” ) eu decidi deixar de fora mesmo…ele ainda é vendido, fabricado, muita gente está adquirindo ele agora e outros estão descobrindo jogos nele ainda, fora que no japão se bobear ainda tem lançamento pra ele…então acho que o PS2 ainda está vivo e presente demais para eu inclui-lo na lista de consoles “retro” da qual quero focar o site…porém cada um tem sua opinião né…já vi muita gente que considera PS2 retro por ai…mas eu sinceramente não XD
    Quanto ao Clock Tower III eu li sobre ele, ví uns videos e etc, não achei que aquilo pudesse ser Clock Tower…fraco demais ( tudo bem que o 2 também é horrivel… ) parece tão assustador quando uma visita a Disneylandia. Eu conheço os scissorman do 3 e já fiquei puto só de ver aquela avacalhação toda…eu joguei o Haunting Ground de PS2 um pouco ( por que o emulador ficou dando zica aqui no PC ) e achei bem mais Clock Tower do que o próprio Clock Tower 3!

    • Ultimecia disse:

      Pra mim até sair um PS4 ou qualquer coisa assim, pra mim a geração retro termina em PS1/N64. Mas como vc está fazendo a matéria de Clock Tower, de repente interessa papear um pouco do assunto (não q seja grande coisa.) junto com..Sei lá, games inspirados por Clock Tower? Puzzles e referencias? Aliás, não lembro se vc comentou do filme q serviu de inspira para o game, mas sei q vc não comentou do fan-remake q estão fazendo do primeiro jogo

      • Tiago Steel disse:

        Eu realmente já ví tantas opiniões diferentes que acho que não existe um meio de estipular em qual geração os retro games acabam. Já ví alguns considerando PS2 retrô, outros dizendo que para no N64/PSX/Saturn…, alguns como eu acham que é último console com “alma” retrô foi o Dreamcast…e muita gente acha que retro mesmo acabou no SNES/Mega Drive…é um assunto bem delicado mesmo.
        Eu fiz o post pra falar mais sobre o game mesmo, não quis me estender demais até por quê conheço poucos games que podem ser considerados “baseados” em Clock Tower além do Haunting Ground. Eu já ouvi falar neste filme em que o primeiro Clock Tower foi baseado…mas joguei o game sem saber da existência dele então realmente não comentei mesmo…e a mesma coisa valhe para o fan-remake que se você não tivesse citado até agora eu também não saberia hahaha, valeu vou procurar aqui pra conferir XD

  11. Rafael Santos disse:

    olá Tiago, quanto tempo esse post haha 🙂
    Sou um fã da série, e gostaria muito que você conseguisse jogar o de ps2 (Não sei se vc o faria por não ser o objetivo do blog) mas pra vc poder trazer-nos um material de toda a série. Vc provavelmente vai notar MUITAS diferenças se comparados ao games anteriores, mas acho que vale apena trazer o material! Desde já fica o meu pedido. 🙂

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s