Especial: Arcades e consoles canivete-suiço

Olá a todos os frequentadores do Retro Journey, hoje gostaria de falar sobre alguns fatos que presenciei durante essas novas gerações de consoles e que acabam me encomodando vez ou outra.
Primeiramente, houve uma época em que nós a maioria dos gamers ( principalmente os retrô ) éramos apenas pirralhos de nariz escorrendo e que nos divertiamos com coisas simples como bonecos ( BONECO NÃO! FIGURA DE AÇÃO!…quem brincava com boneco era menina! ), bola, papel e lápis de colorir…ou apenas simplesmente com o faz de conta de sermos algum personagem de desenho-animado. Mas á um momento na vida de um homem em que tudo muda…e com certeza a de muitos de nós foi mudada por isso:

Um dos famosos monstros engole ficha

Os arcades ( vulgos fliperamas ) eram máquinas que geralmente introduziam os futuros gamers ao mundo dos games, explicando melhor pra essa juventude onde papai tem cartão de crédito internacional e pode abastece-las de Playstations 3  ( playstation! playstation! playstation!!! ) naquela época a situação geral não era tão boa, os consoles eram caros ( mesmo sendo muito mais baratos que os de hoje na época era uma coisa menos comun e isso aliado aos preços que nunca foram baixos faziam muitos pais torcerem o nariz ) e nossos pais tinham a cabeça mais limitada a esse tipo de “brinquedo” salvo um ou outro que comprava pra sí mesmo e acabava deixando o filho jogar… prova disso é em vários blogs retros mesmo onde acabo vez ou outra lendo a odisséia de retrogamers hoje barbados que assim como eu em suas épocas de usar shorts curtos, tênis all star com bolsinho pra moeda do lado e mascar chiclete ping-pong penavam para que os pais lhe dessem um console ou deixassem te-los um ou outro game…geralmente as respostas das mães era um não…já que o dinheiro de um console seria melhor distribuido em bijuterias e calças fuseau do que em um brinquedo técnológico.

PS: Sua mãe tambem poderia ter medo que os consoles te transformassem:
   Para  -> 

                 Disso                                                                 Isso

É  ai que entram os arcades, essas máquinas enormes geralmente ficavam encostadas em bares e outros estabelecimentos e chamavam a atenção de nós futuros gamers e retrogamers com seus sons altos, e telas incrivelmente coloridas era dito e feito após conhecermos os famosos “fliperamas” seria ali que passariamos nossas horas livres torrando moedas como se não houvesse amanhã e matando as magoas de não termos um console em casa, as vezes isso era até bom pois os arcades geralmente tinham a qualidade muito acima dos consoles da época, então jogavamos versões mais completas tanto na parte gráfica quanto na sonora fora games como Street Fighter II, Cadilacs & Dinossaurs, Final Fight que eram muito melhores se jogados nessas máquinas projetadas propriamente para eles. Os arcades eram um verdadeiro “point” dos gamers, dos quase gamers e daqueles que só iam ali para perder fichas mesmo nesse local nós nos divertiamos, jogavamos e competiamos com outros jogadores, faziamos algumas amizades e muitas rivalidades e assim ia dia após dia. Porém nem tudo eram flores os arcades geralmente como citei ficavam em bares, e óbviamente nossos pais não gostavam de saber que estavamos frequentando esses locais, os “fliperamas” tinham toda uma aura de “só é jogado por delinquentes” era assim até mesmo no japão ( Um dos masterminds da SEGA Yu Suzuki disse até mesmo em uma entrevista que queria mudar essa imagem dos arcades la, de serem algo para delinquentes ), claro que alguns lugares se salvavam como é o caso de onde eu costumava muito ir, um salão enorme que costumava ser um salão de bilhar e que foi transformado em um verdadeiro paraiso arcade, ali havia vários fliperamas onde geralmente podiamos jogar sem sermos taxados de vandalos por estarmos dentro de um bar. A  vida seguia assim até que nossas mães cansadas de nossa pedição e do fato dos filhos estarem se transformando em verdadeiros mata-aulas por causa dos arcades resolviam nos dar o tão sonhado console fazendo assim nossa alegria e dando sossego a elas afinal…agora ficariamos trancafiados em casa jogando nossos games preferidos.

Garoto super feliz e satisfeito com seu NES, agora a turma do arcade para de zuar seu Mullet.

As gerações de consoles continuaram a evoluir, e muitos de nós ou ficavamos fadados a ter sempre aquele console ( já que alguns pais achavam que video-game é video-game pra que um novo se já tem um? ) ou tinhamos que fazer como eu…vender o que tinha pra juntar a grana e comprar um novo, na época eu não me importava e saia vendendo o que tinha só para ter o novo console da “moda”…óbviamente hoje me arrependo de ter vendido tantos consoles ótimos que tive. Porém a partir do PS2 surgiu uma nova classe “gamer” ( não, não me refiro a geração playstation já que estes babacas ou não ainda gostavam de games ) podemos chama-los de “não gamers” ou de “CustoxBeneficio” eram aquelas pessoas que escolhiam o console por que ele reproduzia fimes em DVD’s e de brinde estariam levando um video-game…até ai tudo bem, o problema era que…começava ai a nascer um tipo de “jogador” que nessa geração se tornou irritante. Para começar não sei nem se devo chama-los de gamers por que não são na verdade, são pessoas que gostam de games mas não conseguem captar a essencia do que é um game, podemos encontrar esse tipo de gente em vários locais, de lojas de games até foruns na internet, são aqueles que escolhem o console baseado no que ele faz….sem ser jogos! Por exemplo já presenciei aqui em uma loja um destes dizendo que “não compraria o PS3 se ele não lesse Blu-Ray”, o que ele disse foi mais ou menos assim “Ah! pra que eu compraria se não desse pra ver filme em blu-ray!?” esse tipo tambem costuma fazer o que muitos geração playstation, fazem nessa geração que é malhar o Nintendo Wii ” Coisa de criança! eu lá quero essa porcaria”, esses jogadores geralmente começaram a conhecer video-game a partir do playstation, playstation 2 que foram consoles onde a pirataria deu a eles chances de terem vários jogos o que os levou a enfim ter um video game, como perderam a era de ouro antes do playstation, geralmente odeiam a nintendo pois não compreendem que ela é uma empresa a moda antiga, um video-game é para jogos caramba! Se quer ouvir música compre um aparelho de som, se quer ver filmes um DVD ou um Blu-Ray!

Isso é irritante pois uma maioria esmagadora de pessoas parecem não entederem que video-games são máquinas projetadas para jogos, se tal empresa adiciona essas perfumarias todas para atrair um público maior tudo bem, mas isso não dá o direito de exigir ou criticar uma empresa por que ela não colocou isso no seu console, para min esses video-games de hoje são verdadeiros canivete-suiços, permitem filmes, músicas, downloads e etc, oras um computador já é uma central multimidia, e é isso que os consoles de hoje querem imitar: Um computador, e acabam deixando a impressão errada na cabeça de algumas pessoas, de que vão comprar algo multitarefa que tem por obrigação vir de fábrica cheio de funcionalidades, possivelmente algumas pessoas no futuro reclamarão de seu console não imprimir folhas ou não ter sínal de TV a cabo embutido…quando tudo começou com a simples intenção de nos fazer termos a mesma diversão de um arcade só que no conforto de nosso sofá sem sair de casa.

Finalizando

Provavelmente  nas gerações futuras veremos video-games que lavam a louça, fazem café, enceram o chão, levam as crianças para a escola…e ainda assim vai vir algum espertalhão e dizer “mas essa droga não corta a grama? então nem vou comprar”, tudo bem que o direito de ser um completo ignorante é concedido a todos devido a liberdade que temos de escolha, porém me irrita o fato de ver tanta gente criticando o Wii por exemplo pelo fato de “só ter jogos para criança” “não reproduzir filmes assim assado” “a internet dele é ruim”…quando apesar de realmente ser um console falho em vários aspectos ele ainda tem suas qualidades…como o fato de possuir as séries clássicas da nintendo. Infelizmente eu prevejo que em breve video games serão procurados não por seus games, e sim pelo que ele pode fazer de modo geral e assim os games serão apenas uma função secúndaria. 

Esse post foi publicado em Especial. Bookmark o link permanente.

2 respostas para Especial: Arcades e consoles canivete-suiço

  1. velhos tempos que depois da aula, eu e a minha galera ficava procurando fliperamas para jogar. era muito mágico aquela época. e não me importo se tivesse que comprar um PS3 que não roda blu-ray! acho isso uma frescura. além do mais, o console não aguenta ficar nas funções de DVD/Video game ao mesmo tempo, pois isso vai queimar o console.

  2. Tiago Steel disse:

    Pois é Leandro…a gente que é retrogamer e tal já temos uma noção de que o console é algo pra jogos…mas hoje em dia se não venderem ele como um quase PC metade das vendas serão perdidas…acostumaram mal o povo com o PS2 lendo filmes em DVD e veja onde chegamos hoje né XD

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s