And so the journey begins ( RPG’s )


Olá a todos que possam estar vendo este novo blog retrô ( isso saiu meio estranho mas tudo bem ), aqui concentrarei meus posts em games antigos ( dah ), mas ao contrário de muitos outros me estenderei até o já falecido Dreamcast em algumas ocasiões ja que acho que este foi o último console com ar retrô DO MEU PONTO DE VISTA, é óbvio.

Meu foco será em todos os estilos de game, mas principalmente no RPG, e é esse o tema desse meu primeiro post, RPG’s…, por que estes games são os preferidos de 9 entre cada 10 retrogamers?… Bom como todos devem saber na era de ouro dos 8 bits ( NES, Master System etc ) games elaborados era coisa rara, o intuito dos games era divertir o jogador ( como deveria ser até hoje se não fosse esse mercado de venda de gráficos em que se tornou os video games), games como Mario Bros., Castlevania e outros serviam bem esse propósito, eram infinitamente superiores a eterna disputa por maior pontuação da era Atari. Mas algo mudaria ainda mais este mercado…

A Popularização da capa e espada

Em 1986 a então empresa de games japonesa ENIX, que ja publicava a alguns anos games para vários computadores caseiros da época, resolve apostar em um estilo de game novo, os RPG’s…a idéia não era assim tão inédita visto que alguns computadores ja possuiam games como Wizardry que eram classificadamente RPG’s…porém a jogabilidade deste novo game da ENIX era muito mais simplificada, renovada, a imagem era mais atraente o game era muito mais vivo e com mecânicas mais simples…fora que para ilustrar os personagens a mesma resolveu chamar o ja renomado mangaká Akira Toriyama já conhecido do publico japonês por desenhar mangas como DR.Slump e Dragon Ball. Como o Famicom ( nosso conhecido e amado NES aqui no ocidente ) era um console CASEIRO, diferente dos computadores que até então era algo não tão difundido para lazer, a chance daquele “novo” estilo de game explodir era bem maior, isso aliado ao fato já citado de um renomado desenhista criar os cativantes habitantes e criaturas daquele mundo, e a mecânica simplificada e muito mais amiga do que os até então chamados RPG’s da época, somados aos gráficos agradaveis e bem desenhados do game serviram para consagra-lo como um dos maiores lançamentos no japão. Mas o que este estilo tinha que chamava tanto a atenção?

It's Dragon Quest...Bitchs!!!

Para começar podemos citar o fato de que agora você não se resumia a seguir estritamente para a frente, pular abismos e ir sempre da direita para a esquerda para terminar o game. Neste novo estilo de game você era quem tomava as decisões, você jogava como o herói que agora podia ter seu nome! ( Hey isso era legal na época! antes de se tornar rotina ), havia um pano de fundo que envolvia o guerreiro Erdrick e como o mesmo recuperou a orb of light e salvou o reino da escuridão, mas quando você tomava o controle tudo que sabia era que agora diante do rei estava sendo incunbido da missão de salvar a princesa que havia sido capturada pelo témivel DragonLord! Sim era simples mas poder ter controle total sobre o personagem que podia andar livremente pelas cidades, comprar armas com o dinheiro ganho em batalhas e se tornar mais e mais forte a cada batalha vencida dava uma sensação de “estar dentro da aventura”, você não devia sair do ponto A e ir até o ponto B onde um boss o aguarda para que siga em frente, aqui você estava largado em um mundo enorme, cercado de florestas e montanhas, devia reunir pistas falando com moradores das vilas e cidades, e então deduzir a rota que o levaria para mais e mais próximo de onde a princesa estava, e a cada avanço alguns detalhes da história era revelado, enquanto isso seu personagem ficava mais e mais forte e conseguia armas e armaduras para enfrentar os novos desafios, se desligasse o video-game era só salvar o game antes e continuar dali mesmo outro dia, já que este estilo de jogo costumava demorar muito tempo para ser terminado.

Mistura de estilos

Não demorou muito e aquele estilo de jogo foi copiado e melhorado, a antiga empresa Squaresoft ( já falindo na época ) resolveu apostar naquele estilo de game que havia explodido logo em seu lançamento, como a empresa estava na fossa, o nome escolhido para a franquia que era a última chance da empresa foi Final Fantasy…e como uma fantasia mesmo aquela série decolou, Final Fantasy aprimorava ainda mais o estilo de Dragon Quest, as batalhas agora mostravam seus personagens ( ao contrário da tela em primeira pessoa de dragon quest ), havia classes para cada personagem, gráficos melhoras, enredo mais elaborado, mas magias, mais personagens secúndarios, e agora podia até se usar veículos como o Airship. Final Fantasy é um sucesso, tira a Squaresoft da vala e se torna inimigo número Um de Dragon Quest. Mas ainda importante temos uma série que surgiu quase que na mesma época de Dragon Quest…e que era uma mistura de RPG com ação…ao invés das batalhas calculistas e metódias saiamos descendo a mão nos inimigos mesmo em tempo real…, essa série era The Legend of Zelda.

Clássica cena...

Em The Legend of Zelda, criado pela mesma mente por detrás do já ilustre Mario, Shigeru Miyamoto, você assumia o papel de Link ( que também podia se chamar como quisesse ) e devia mais uma vez salvar a princesa que dava nome ao titúlo, o diferencial é que desta vez você ainda podia explorar e desbravar o mundo descobrindo segredos e itens, mas as batalhas eram em tempo real, ao invés da conhecida telinha de batalha onde ficavamos encarando os inimigos o quanto quisessemos até escolhermos nossos ataques, em zelda eles se moviam e você devia acerta-los em tempo real como um game de ação, fora que o game era recheado de calabouços ( dungeons ) onde havia vários quebra cabeças ( puzzles ) que deveriam ser resolvidos. Não era bem um RPG mas bebia direto da fonte e serviu como base para um estilo consagrado mais tarde os famosos ACTION RPG’s. Então temos como base o triangulo Dragon Quest, Final Fantasy e The Legend of Zelda e durante a era 8 bits estes foram os expoentes…mas então veio o SNES…conhecido na terra do sol nascente por SUPER FAMICOM…e foi ai que os RPG’s chegaram em um novo patamar, séries como Dragon Quest e Final Fntasy receberam novos capitulos, novas franquias sairam do forno como Secret of Mana um action RPG novinho, e clássicos únicos como Chrono Trigger nasceram e morreram sem uma sequencia que os honrou. Mas como não quero me estender pararei por aqui, o que importa é que os RPG’s serão eternos, mesmos um tanto esquecidos hoje em dia ou sem bons lançamentos…ou mesmo defamando séries clássicas com novos lançamentos COF COF Final Fantasy…
Um estilo de game que combina, boa narrativa, personagens cativantes , uma longa jornada, reviravoltas, aprimoramento de seus personagens e grandes trilhas sonoras tinha mesmo que ter decolado.

Menções honrosas:

Phantasy Star

Clássico da Sega Phantasy Star

Uma das séries preferidas de muitos retrogamers, alguns me crucificariam se me esquecesse deste. Fez muito sucesso e trazia um sistema interessante de dungeons em primeira pessoa, gerou várias sequencias ( das quais uma não é muito bem aceita até hoje ) e apesar do sucesso merecido e da enorme variedade que o mundo da série podia oferecer para sequencias, hoje vive apenas de sua série online.

Pokémon

Velho conhecido laboratório

Série lançada pela nintendo em 1996, Pokémon ja fala por si próprio, usando um esquema de captura de monstrinhos, evolução dos mesmos e um anime muito interessante que ajudou o game a decolar Pokémon é conhecido de todos, um RPG bem sólido com um sistema de batalha magnifico, por detrás da aparencia bobinha e amigavel das batalhas de monstrinhos se escondia um RPG divertido e com batalhas muito bem planejadas.

Ainda tiveram vários games como Tales of Phantasia, Terranigma, Lufia e tantos outros incluindo RPGs americanos que marcaram e merecem tanto destaque quanto estes. Porém cedo ou tarde eles aparecerão aqui no Blog então por enquanto deixe-me salvar o game aqui mesmo e continuar esta jornada outra hora.

Até mais a todos que me seguirem nesta jornada!

Duran

“Damnit! I want to get strong NOW!” -Duran, Seiken Densetsu III

Esse post foi publicado em Uncategorized. Bookmark o link permanente.

2 respostas para And so the journey begins ( RPG’s )

  1. poxa, Phantasy Star como “menção honrosa?” …bem, pelo menos vc falou cara.

    • Tiago Steel disse:

      Phantasy Star é muito bom…mas apesar de tudo não acho que tenha sido uma série tão importante quanto as que destaquei compreende?
      Não to tirando o mérito dele…mas ele não trouxa nada de muito novo …apesar dos dungeons em primeira pessoa serem bem legais em um RPG japones.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s